Pimenta denuncia “jogo de cartas marcadas” na Lava Jato para atingir Lula

Deputado denuncia vazamento na imprensa de um depoimento secreto e sigiloso antes mesmo de ele ter acontecido; o jornal Valor Econômico e o site O Antagonista publicaram que Léo Pinheiro, da OAS, "afirmará que a propriedade do apartamento 164-A do edifício Solaris, no Guarujá, é mesmo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva"; o ex-executivo da empreiteira tem depoimento marcado para esta tarde com o juiz Sergio Moro; "Isso é criminoso e revelador, de que é um depoimento pré-combinado. É uma farsa, que tem um único objetivo: criar provas que nunca apareceram para justificar uma condenação ilegal de um presidente como Lula", afirma Pimenta

Deputado denuncia vazamento na imprensa de um depoimento secreto e sigiloso antes mesmo de ele ter acontecido; o jornal Valor Econômico e o site O Antagonista publicaram que Léo Pinheiro, da OAS, "afirmará que a propriedade do apartamento 164-A do edifício Solaris, no Guarujá, é mesmo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva"; o ex-executivo da empreiteira tem depoimento marcado para esta tarde com o juiz Sergio Moro; "Isso é criminoso e revelador, de que é um depoimento pré-combinado. É uma farsa, que tem um único objetivo: criar provas que nunca apareceram para justificar uma condenação ilegal de um presidente como Lula", afirma Pimenta
Deputado denuncia vazamento na imprensa de um depoimento secreto e sigiloso antes mesmo de ele ter acontecido; o jornal Valor Econômico e o site O Antagonista publicaram que Léo Pinheiro, da OAS, "afirmará que a propriedade do apartamento 164-A do edifício Solaris, no Guarujá, é mesmo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva"; o ex-executivo da empreiteira tem depoimento marcado para esta tarde com o juiz Sergio Moro; "Isso é criminoso e revelador, de que é um depoimento pré-combinado. É uma farsa, que tem um único objetivo: criar provas que nunca apareceram para justificar uma condenação ilegal de um presidente como Lula", afirma Pimenta (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) fez nesta tarde uma denúncia em seu Facebook que aponta um "jogo de cartas marcadas" entre os procuradores da Lava Jato, incluindo o juiz Sergio Moro, delatores das empreiteiras e a mídia para atingir o ex-presidente Lula. 

Pimenta alertou que o jornal Valor Econômico e o site O Antagonista publicaram nesta quinta-feira 20 a informação de que Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, "afirmará que a propriedade do apartamento 164-A do edifício Solaris, no Guarujá, é mesmo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva".

O vazamento foi feito, porém, antes mesmo de o depoimento ter acontecido - estava marcado para as 14h em Curitiba. "Nós estamos diante de uma circunstância inacreditável. Estamos diante de um vazamento de um depoimento que ainda não foi dado. E mais do que isso, o depoimento foi revelado com detalhes, com informações categóricas, num depoimento que ainda não aconteceu", destacou Pimenta.

"Isto revela não só uma aceitação absolutamente inaceitável com o esquema de vazamentos dirigido por parte do juiz que conduz a investigação, como um fato de proporções que colocam em dúvida tudo aquilo que os delatores disseram até agora: as delações são combinadas antes", alertou o deputado.

"O juiz Sergio Moro e a equipe de investigadores de Curitiba combinam com as testemunhas, os delatores antes dos depoimentos aquilo que eles querem ouvir. É como se as delações só fossem aceitas depois que o juiz Sergio Moro e a equipe de procuradores analisa, examina e dá o ok", acrescentou.

"Isso é criminoso e revelador, de que é um depoimento pré-combinado. É uma farsa, que tem um único objetivo: criar provas que nunca apareceram para justificar uma condenação ilegal de um presidente como Lula", concluiu Pimenta. Assista ao seu vídeo acima.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247