Pimenta: ‘fariseus transformam o Judiciário em reino da demagogia’

Deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, fez duras críticas aos "fariseus" do sistema Judiciário brasileiro; "Fariseus hipócritas transformam o sistema judiciário brasileiro no reino da seletividade e da demagogia. Com seus milionários salários e todo tipo de privilégios, se negam a cumprir a CF. Constituintes foram eleitos pelo povo, não foram fruto da meritocracia, esse é o ponto!!", disse Pimenta, pelo Twitter, ao compartilhar o anúncio do jejum pela prisão do ex-presidente, feito pelo procurador Deltan Dallagnol, e que recebeu apoio do juiz Marcelo Bretas

Deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, fez duras críticas aos "fariseus" do sistema Judiciário brasileiro; "Fariseus hipócritas transformam o sistema judiciário brasileiro no reino da seletividade e da demagogia. Com seus milionários salários e todo tipo de privilégios, se negam a cumprir a CF. Constituintes foram eleitos pelo povo, não foram fruto da meritocracia, esse é o ponto!!", disse Pimenta, pelo Twitter, ao compartilhar o anúncio do jejum pela prisão do ex-presidente, feito pelo procurador Deltan Dallagnol, e que recebeu apoio do juiz Marcelo Bretas
Deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, fez duras críticas aos "fariseus" do sistema Judiciário brasileiro; "Fariseus hipócritas transformam o sistema judiciário brasileiro no reino da seletividade e da demagogia. Com seus milionários salários e todo tipo de privilégios, se negam a cumprir a CF. Constituintes foram eleitos pelo povo, não foram fruto da meritocracia, esse é o ponto!!", disse Pimenta, pelo Twitter, ao compartilhar o anúncio do jejum pela prisão do ex-presidente, feito pelo procurador Deltan Dallagnol, e que recebeu apoio do juiz Marcelo Bretas (Foto: Aquiles Lins)

Rio Grande do Sul 247 - O deputado Paulo Pimenta (RS), líder do PT na Câmara, fez duras críticas ao que chamou de "fariseus" do sistema Judiciário brasileiro. 

"Fariseus hipócritas transformam o sistema judiciário brasileiro no reino da seletividade e da demagogia. Com seus milionários salários e todo tipo de privilégios, se negam a cumprir a CF. Constituintes foram eleitos pelo povo, não foram fruto da meritocracia, esse é o ponto!!", disse Pimenta, pelo Twitter. 

"Na realidade é o discurso da meritocracia que justifica a extrapolação das competência do sistema de justiça. Uma 'casta' selecionada nos 'melhores filhos' dos 'cidadãos de bem' que devem gerir os destinos da nação", critica o líder petista. 

Críticas de Paulo Pimenta ocorrem em meio à declaração do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato no MPF, que anunciou pelo Twitter um jejum pela prisão do ex-presidente Lula, ao reconhecer que o STF poderá cumprir o que determina a Constituição e deixar Lula em liberdade até o processo transitar em julgado. A "iniciativa" de Dallagnol recebeu o apoio do juiz federal Marcelo Bretas, que foi bastante criticado após a revelação de que  foi à Justiça para acumular o recebimento de auxílio-moradia junto com a esposa, também juíza, mesmo os dois morando em imóvel próprio.

Para os "fariseus", diz Pimenta, os poderes eleitos pelo voto popular não possuem o "filtro necessário", a "preparação técnica exigida", a "formação cultural e intelectual" que a sociedade moderna exige dos seus gestores. "Não falam inglês fluentemente, mal conhecem o Brasil, quiçá a Europa e os EUA. Não estudaram nas melhores escolas, não fizeram mestrado em Harvard nem em Oxford, como podem ter pretensão de fazer leis?? É isso o que pensam de verdade", acrescenta o líder do PT.

Inscreva-se na TV 247 e assista ao Bom Dia 247 desta segunda-feira com Leonardo Attuch: 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247