Pimentel: PM agiu dentro do protocolo em protesto

Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) afirmou fez referência ao protesto contra o aumento das passagens de ônibus em Belo Horizonte, que terminou em conflito na noite de quarta-feira, no Centro da cidade; "O direito de manifestação é democrático. Mas se (a polícia) é agredida, lamento muito, não há outra saída. Precisa reagir", disse; ativistas denunciam exagero no uso de balas de borracha, bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e na conduta dos PMs, enquanto o poder público defende que militares foram agredidos ao negociar a liberação da via pública e a garantia do direito de ir e vir

Cerimônia de Instalação do Fórum Regional deGoverno do território Norte. 11-06-2015- Montes Claros-MG Foto: Manoel Marques/imprensa-MG
Cerimônia de Instalação do Fórum Regional deGoverno do território Norte. 11-06-2015- Montes Claros-MG Foto: Manoel Marques/imprensa-MG (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), afirmou, nessa quinta-feira (13), que a Polícia Militar "agiu dentro do protocolo". O chefe do Executivo mineiro fez referência ao protesto contra o aumento das passagens de ônibus em Belo Horizonte, que terminou em conflito na noite de quarta-feira, no Centro da cidade.

"O direito de manifestação é democrático. Mas se (a polícia) é agredida, lamento muito, não há outra saída. Precisa reagir", disse o governador à coluna Em dia com a Política, do jornal Estado de Minas.

Enquanto ativistas afirmam que houve exagero no uso de balas de borracha, bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e na conduta dos PMs diante de um movimento pacífico, o poder público defende que militares foram agredidos ao negociar a liberação da via pública e a garantia do direito de ir e vir.

Alguns participantes da manifestação prometeram acionar até mesmo a Organização das Nações Unidas (ONU). O episódio será avaliado no âmbito do governo de Minas, pela Secretaria de Direitos Humanos e pelos comandos das forças de segurança.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email