Pimentel quer agronegócio menos burocrático em MG

Com o objetivo de conquistar apoio de representantes do agronegócio, o candidato a governador de Minas Gerais pelo PT, Fernando Pimentel, afirmou que "é preciso desburocratizar" a concessão de uma licença ambiental que, atualmente, pode demorar até três anos para ser emitida pelo governo; "Vamos dar apoio para que os escritórios regionais do Instituto Estadual de Florestas (IEF) possam se preparar para isso. Hoje está tudo centralizado nas superintendências", afirmou o petista, evento na Faemg, em Belo Horizonte

Com o objetivo de conquistar apoio de representantes do agronegócio, o candidato a governador de Minas Gerais pelo PT, Fernando Pimentel, afirmou que "é preciso desburocratizar" a concessão de uma licença ambiental que, atualmente, pode demorar até três anos para ser emitida pelo governo; "Vamos dar apoio para que os escritórios regionais do Instituto Estadual de Florestas (IEF) possam se preparar para isso. Hoje está tudo centralizado nas superintendências", afirmou o petista, evento na Faemg, em Belo Horizonte
Com o objetivo de conquistar apoio de representantes do agronegócio, o candidato a governador de Minas Gerais pelo PT, Fernando Pimentel, afirmou que "é preciso desburocratizar" a concessão de uma licença ambiental que, atualmente, pode demorar até três anos para ser emitida pelo governo; "Vamos dar apoio para que os escritórios regionais do Instituto Estadual de Florestas (IEF) possam se preparar para isso. Hoje está tudo centralizado nas superintendências", afirmou o petista, evento na Faemg, em Belo Horizonte (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 – Com o objetivo de conquistar apoio de representantes do agronegócio, o candidato a governador de Minas Gerais pelo PT, Fernando Pimentel, afirmou, nesta terça-feira (2), que "é preciso desburocratizar" a concessão de uma licença ambiental. Atualmente, pode demorar até três anos para a licença ser emitida pelo governo. O agronegócio movimento R$ 140 bilhões por ano no estado.

"Vamos dar apoio para que os escritórios regionais do Instituto Estadual de Florestas (IEF) possam se preparar para isso. Hoje está tudo centralizado nas superintendências", afirmou o petista, durante encontro com associados da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), em Belo Horizonte.

Pimentel disse, também, que pretende avaliar a redução da tarifa de energia elétrica cobrada dos produtores rurais. "Ouvimos muitos produtores rurais. A reclamação é de que a qualidade da energia é muito baixa. Muitos estão comprando geradores porque os picos são constantes", declarou.

Por sua vez, Pimenta da Veiga também defendeu o fim da burocracia no setor, principalmente na emissão de licenças. "Licenças precisam ter prazos, o que não pode é não sair a licença", afirmou o tucano, que se apresentou como produtor rural. "Temos de estabelecer regras que sejam, em primeiro lugar, simples, para serem eficientes e rápidas. Então, não pode (autorizar)? Não pode. Se pode, que autorize logo", complementou.

O candidato do PSB Tarcísio Delgado afirmou que "não se podem ditar normas a quem é especialista em um setor. Tem que trabalhar em conjunto". De acordo com ele, não se pode ser "xiita" em relação ao meio ambiente. "Caso contrário, para o estado, para o país", acrescentou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247