Plano propõe ações para atingidos por barragem

Os estoques de água, roupas e cestas básicas são suficientes para o próximo mês de dezembro; “No entanto, os moradores atingidos precisam de doações de material de higiene pessoal (shampoo, sabonete etc) e roupas de cama e banho. E para o Natal, seria bom o envio de brinquedos para as crianças”, explica a socióloga Marta Silva, coordenadora da equipe da Sedese em Barra Longa

Os estoques de água, roupas e cestas básicas são suficientes para o próximo mês de dezembro; “No entanto, os moradores atingidos precisam de doações de material de higiene pessoal (shampoo, sabonete etc) e roupas de cama e banho. E para o Natal, seria bom o envio de brinquedos para as crianças”, explica a socióloga Marta Silva, coordenadora da equipe da Sedese em Barra Longa
Os estoques de água, roupas e cestas básicas são suficientes para o próximo mês de dezembro; “No entanto, os moradores atingidos precisam de doações de material de higiene pessoal (shampoo, sabonete etc) e roupas de cama e banho. E para o Natal, seria bom o envio de brinquedos para as crianças”, explica a socióloga Marta Silva, coordenadora da equipe da Sedese em Barra Longa (Foto: Luis Mauro Queiroz)

Agência Minas - Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) entregou esta semana o Plano de Assistência Social para o município de Barra Longa, um dos mais atingidos pelo rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco. A localidade teve 120 casas e 309 moradores atingidos.

O Plano propõe ações em curto e médio prazo. No primeiro caso, encontram-se a organização do fluxo de recebimento e distribuição das doações. De acordo com informações da equipe da Sedese que está no município, os estoques de água, roupas e cestas básicas são suficientes para o próximo mês de dezembro. “No entanto, os moradores atingidos precisam de doações de material de higiene pessoal (shampoo, sabonete etc) e roupas de cama e banho. E para o Natal, seria bom o envio de brinquedos para as crianças”, explica a socióloga Marta Silva, coordenadora da equipe da Sedese em Barra Longa.

Deslocados para a região desde o dia 6 de novembro, um dia após o rompimento, os técnicos da Sedese estão apoiando a oferta de assistência social e garantindo o acolhimento das vítimas e o acesso à alimentação e vestuário, serviços de saúde e atendimento psicossocial, além da orientação à gestão municipal no processo de cadastramento de famílias e destinação dos recursos federais e estaduais, disponíveis nos fundos municipais de assistência social.

O Plano integra as iniciativas desenvolvidas pela Sedese na região atingida e, assim como já ocorreu em Mariana, onde, após a elaboração em parceria com os técnicos municipais, a equipe estadual de assistência social dará apoio para sua execução.

Outras medidas, de médio prazo, também foram apresentadas. Entre elas a contratação de uma equipe de assistência social pela Samarco para atender os atingidos nos próximos seis meses. A empresa já contratou três assistentes sociais e um psicólogo, que estão fazendo o levantamento e o acompanhamento de famílias, com o apoio de um assistente social do Cras de Barra Longa.

No Plano da Sedese, este trabalho inclui a identificação e atendimento de necessidades da população, acompanhamento psicossocial, apoio para retomada de suas vidas com autonomia e orientações sobre o processo de negociação das indenizações com a Samarco. 

Outra ação é a contratação de uma equipe volante para assumir as ações emergenciais, como a busca ativa das famílias, e assim colaborar com a atuação das equipes dos Cras e dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). A proposta abrange famílias e indivíduos atingidos nas localidades de  Gesteira, Barretos, Onça, Mandioca, São Gonçalo, Bueno, Fazenda dos Corvinos e centro de Barra Longa.

Plano de Mariana

Em Mariana, o Plano de Ação da Assistência Social, também elaborado pelos técnicos da Sedese em parceria com a prefeitura, foi entregue à secretaria Municipal de Assistência Social e está em fase de implantação com ações de curto e médio prazo, além de definir atribuições à Samarco em relação ao atendimento das famílias e indivíduos atingidos.

Uma das ações é coordenar a distribuição das doações. Já foi disponibilizado um galpão próximo aos centros de distribuição, para o estoque das doações, além do transporte das pessoas atingidas ao Centro de Convenções para retirada dos suprimentos necessários. 

Outra responsabilidade atribuída à Samarco é a contratação de equipe de profissionais, composta por dez assistentes sociais e dez psicólogos, para realizar atividades de acompanhamento das famílias atingidas, complementares aos serviços de assistência social já existentes no município. A equipe também deverá desempenhar atividades de atualização cadastral das famílias, que deve conter informações sobre públicos prioritários para acompanhamento pela assistência social e demais políticas sociais. O acompanhamento emergencial das famílias e indivíduos atingidos é outra atribuição das equipes, que inclui visitas periódicas para assistência psicossocial das famílias por no mínimo seis meses.

O Plano prevê ainda garantir a continuidade dos serviços, programas, projetos e benefícios da assistência social, além da proposta de criação de um Comitê Integrado para planejar e coordenar a execução de ações integradas entre as políticas sociais. O Comitê teria a função ainda de participar das negociações com a Samarco para levar as demandas e pautas das políticas sociais para garantir a continuidade e qualidade dos serviços prestados à população, tendo em vista o aumento de demanda gerado em função do rompimento da barragem de rejeitos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247