Polêmico, Gilmar Mendes vem ao Tocantins para encerramento da Biometria

TRE-TO realizará nesta sexta-feira (2) a solenidade de encerramento do Projeto Tocantins 100% Biométrico; o evento contará com a presença do presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes; serão apresentados os números consolidados da última fase do cadastramento Biométrico no estado, encerrada no último dia 26; presença de Gilmar chama a atenção devido às polêmicas que envolvem o ministro; a última foi uma interceptação das ligações telefônicas entre ele e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) apontar uma ação para adiar o julgamento de um inquérito sobre corrupção na central elétrica de Furnas, em Minas

Brasília - Presidente do TSE, Gilmar Mendes, faz balanço dos trabalhos do tribunal e apresenta dados sobre prestações de contas de campanhas referentes às eleições municipais deste ano (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - Presidente do TSE, Gilmar Mendes, faz balanço dos trabalhos do tribunal e apresenta dados sobre prestações de contas de campanhas referentes às eleições municipais deste ano (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) realizará nesta sexta-feira (2/6) a solenidade de encerramento do Projeto Tocantins 100% Biométrico. O evento ocorrerá às 14h30, no auditório do Regional e contará com a presença do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes.

Durante a solenidade serão apresentados os números consolidados da última fase do cadastramento Biométrico no Tocantins, encerrada no último dia 26. O Estado se consagrou o primeiro do país a concluir o cadastramento biométrico dos eleitores em 2017, se juntando a outras quatro unidades da federação que fecharam em anos anteriores. Assim, nas próximas eleições de 2018 todos os eleitores tocantinenses estarão aptos a votar por meio da identificação das digitais, garantindo um processo eleitoral ainda mais seguro.  

Ainda durante a tarde, o ministro Gilmar Mendes concederá entrevista coletiva à imprensa. Para participar o jornalista ou responsável pelo veículo de comunicação deve fazer o credenciamento no seguinte link:http://bit.ly/2rBskyZ

Na oportunidade, será entregue a obra de reforma do Auditório Rufino Teotônio Segurado, na sede do TRE-TO, que passou por ampla reestruturação, garantindo mais comodidade e acessibilidade a magistrados, servidores e cidadãos que acompanham cursos de capacitação e eventos institucionais realizados no local.

Polêmicas

O ministro voltou a ganhar os holofotes da imprensa nacional, após uma interceptação das ligações telefônicas entre ele e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) apontar a ação do ministro para adiar o julgamento de um inquérito sobre corrupção na central elétrica de Furnas, em MG.

A ligação interceptada pela Polícia Federal foi realizada em 26 de abril de 2017. No telefonema, o tucano liga para Mendes com o objetivo de obter apoio do senador Flexa Ribeiro, um dos outros dois membros da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, para votar o projeto de lei contra abuso de autoridade por parte do Poder Judiciário e do Ministério Público. A ideia dos congressistas é a de aplacar a fúria dos procuradores da Operação Lava Jato.

Em delação premiada, o doleiro Alberto Youssef comentou que "Aécio dividia uma diretoria de Furnas com o PP e recebia pagamentos mensais da estatal por meio da sua irmã Andreia Neves". Relator do inquérito no STF, Mendes permitiu que o senador tivesse acesso a depoimentos já prestados no caso. De acordo com o ministro, a diligência policial já estava concluída, por isso os envolvidos poderiam ter acesso aos autos do processo. O argumento de Mendes contrariava as recomendações da Polícia Federal, que ainda fazia investigações no caso.

Até a Globo atacou Gilmar, em editorial. "Confirma-se, infelizmente, que as maquinações contra a Lava-Jato não estão apenas no Congresso, mas se infiltraram no Supremo. Consta, não se deve esquecer, que a possibilidade de prisão na rejeição de recurso na segunda instância teria convencido a cúpula da Odebrecht a fechar o acordo de delação premiada". O texto critica a posição do ministro, que pretende rever seu voto sobre prisões em segunda instância (leia mais aqui).

O ministro também teve, em maio do ano passado, um polêmico encontro com Michel Temer, arquiteto de um golpe contra Dilma Rousseff, inocentada tanto pelo Ministério Público (MPDFT), como por uma auditoria do Senado. "Eu tinha avançado nas conversas com o ministro Romero Jucá e a minha equipe estava discutindo com ele, mas aí houve esse incidente e aí ontem ele [Michel Temer] me ligou se colocando à disposição e eu aproveitei e fui lá para conversar", disse Gilmar, fazendo referência ao orçamento do Tribunal Superior Eleitoral. 

Nesta terça-feira (30), uma matéria da Folha revelou que uma faculdade que tem como sócio o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), anuncia de Michel Temer em um seminário patrocinado pelo governo. Gilmar é presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), corte que começa a julgar no dia 6 uma ação que pode cassar Temer (veja aqui)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247