Polícia Civil de SP tem maior número de mortes em confronto desde ataques do PCC

Em nove meses de 2017, a Polícia Civil de São Paulo já matou mais pessoas em confrontos do que nos últimos 11 anos; o último ano com tantas mortes em confronto foi 2006, quando houve ataque generalizado de facções criminosas às forças de segurança no Estado de São Paulo; são 29 mortos, considerando os 19 do primeiro semestre, que estão nas estatísticas oficiais, e os dez do último dia 2 de setembro, no Morumbi (zona oeste); os números tendem a aumentar, já que faltam as estatísticas do terceiro e do quarto trimestre de 2017 --incluindo setembro, que só deve ter os números totais divulgados a partir de outubro

Polícia Civil
Polícia Civil (Foto: Giuliana Miranda)

SP 247 - Em nove meses, a Polícia Civil de São Paulo já matou em 2017 mais pessoas em confrontos do que nos últimos 11 anos. São 29 mortos, considerando os 19 do primeiro semestre, que estão nas estatísticas oficiais, e os dez do último dia 2 de setembro, no Morumbi (zona oeste). Os números tendem a aumentar, já que faltam as estatísticas do terceiro e do quarto trimestre de 2017 --incluindo setembro, que só deve ter os números totais divulgados a partir de outubro.

O número chama a atenção porque, diferentemente da Polícia Militar, a Polícia Civil não faz policiamento ostensivo e trabalha com investigação e inteligência.

O último ano com tantas mortes em confronto foi 2006, quando houve ataque generalizado de facções criminosas às forças de segurança no Estado de São Paulo. Naquele ano, 51 pessoas foram mortas em confrontos com policiais civis, com o pico de 27 mortes no segundo trimestre, que coincide com os ataques do PCC.
Para efeito de comparação, o número de mortos em confrontos com a PM, até junho deste ano, foi de 313, segundo dados publicados no site da Secretaria de Segurança Pública.

Neste ano, dois policiais civis morreram em confronto --no ano passado inteiro foram cinco. Em 2016, a Polícia Civil matou menos da metade do total deste ano em confrontos: 14.

"Não é uma coisa por si absurda a Polícia Civil se envolver em confronto. Mas isso acontece em uma proporção muito menor do que em relação à PM", afirma Isabel Figueiredo, pesquisadora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

As informações são de reportagem de Marcos Sergio Silva no UOL.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247