Polícia Federal desarticula grupo responsável por R$ 10 milhões em fraudes bancárias pela internet

A operação Código Reverso cumpre 43 mandados, sendo sete de prisão preventiva, um de prisão temporária, 11 de intimação e 24 de busca e apreensão nos Estados de Tocantins, São Paulo, Goiás e Pernambuco.

Polícia Federal desarticula grupo responsável por R$ 10 milhões em fraudes bancárias pela internet
Polícia Federal desarticula grupo responsável por R$ 10 milhões em fraudes bancárias pela internet
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira, operação de combate a um grupo criminoso especializado em fraudes bancárias pela internet e lavagem de dinheiro por meio de bitcoins, que causou prejuízo de cerca de 10 milhões de reais em nove meses, informou a PF em comunicado.

A operação Código Reverso cumpre 43 mandados, sendo sete de prisão preventiva, um de prisão temporária, 11 de intimação e 24 de busca e apreensão nos Estados de Tocantins, São Paulo, Goiás e Pernambuco.

A investigação revelou que o grupo utilizava programas maliciosos para acessar remotamente os computadores das vítimas, burlando os sistemas de segurança dos bancos, e realizar diversas transações bancárias eletrônicas como pagamentos e compras pela internet.

“Os membros dessa organização apresentam alto padrão de vida e se utilizam, inclusive, de diversas empresas de fachada para movimentar e ocultar os valores obtidos por meio das atividades criminosas, investindo grande parte das vantagens ilícitas em moedas virtuais como a bitcoin, realizando lavagem de dinheiro”, disse a PF em comunicado.

A investigação, realizada em conjunto com equipes de prevenção a fraudes dos bancos Caixa Econômica Federal , Bradesco , Itaú Unibanco e Banco do Brasil, também identificou empresários que utilizavam o serviço do grupo para “pagar contas e realizar compras, através de pagamentos feitos pelos criminosos em prejuízo à milhares de contas bancárias”.

O grupo criminoso era constituído por hackers com conexões internacionais, inclusive criminosos cibernéticos do leste europeu, disse a PF.

Por Maria Clara Pestre, no Rio de Janeiro

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247