Policiais Civis programam paralisações

Os agentes da Polícia Civil de Alagoas decidiram realizar três paralisações de 24h nos dias 1º, 8 e 15 de abril, em três locais diferentes; eles reclamam que o governo não vem dado a atenção esperada para buscar uma solução para a pauta de reivindicações da categoria, caso, por exemplo, do piso salarial de 60% da remuneração dos delegados

Os agentes da Polícia Civil de Alagoas decidiram realizar três paralisações de 24h nos dias 1º, 8 e 15 de abril, em três locais diferentes; eles reclamam que o governo não vem dado a atenção esperada para buscar uma solução para a pauta de reivindicações da categoria, caso, por exemplo, do piso salarial de 60% da remuneração dos delegados
Os agentes da Polícia Civil de Alagoas decidiram realizar três paralisações de 24h nos dias 1º, 8 e 15 de abril, em três locais diferentes; eles reclamam que o governo não vem dado a atenção esperada para buscar uma solução para a pauta de reivindicações da categoria, caso, por exemplo, do piso salarial de 60% da remuneração dos delegados (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Os agentes da Polícia Civil de Alagoas decidiram, em assembleia na tarde desta terça-feira (29), realizar três paralisações de 24h. As mobilizações acontecerão nos dias 1º, 8 e 15 de abril, em três locais diferentes. Os servidores se queixam que, apesar das diversas tentativas de buscar uma solução para a pauta de reivindicações da categoria, o governo do estado não vem dado a atenção esperada pelos trabalhadores.  

De acordo com a assessoria do Sindpol, o governo não fez nenhuma proposta sobre a reivindicação de piso salarial de 60% da remuneração dos delegados, bem como dos outros itens da pauta de reivindicações dos policiais. Em decorrência desse descaso, a categoria decidiu realizar três paralisações de 24 horas a partir do dia 1º de abril e uma nova assembleia geral com indicativo de greve geral no dia 18 de abril.

As paralisações vão acontecer no dia 1º no Complexo de Delegacias Especializadas, no dia 8 na Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) e no dia 15 na Delegacia Geral. Após a mobilização, uma assembleia geral com indicativo de greve será realizada.

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, informou que, na última negociação com a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), o assessor de Relações Sindicais do órgão, Thiago Simões, havia se comprometido a definir uma data para uma nova reunião, dessa vez com o secretário Cristian Teixeira. O encontro deveria acontecer antes da realização da assembleia desta terça-feira, mas não ocorreu. 

O técnico do governo chegou a informar que o prazo para realização da reunião era de 15 dias. Entre os 23 itens da pauta de reivindicações, o único item discutido na Seplag, na segunda-feira (28), foi a revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios (PCCS). O sindicato apresentou a proposta de revisão do Plano à secretária Adjunta, Ricarda Calheiros, que disse que irá repassar a proposta do sindicato ao secretário e dará o posicionamento da revisão.

Ainda segundo o sindicato, a categoria manifestou insatisfação pelo descaso do governo e, por isso, ficou decidido que se o governador não apresentar uma proposta em relação ao piso salarial, os policiais civis deflagrarão greve por tempo indeterminado a partir do dia 18 de abril.

Com gazetaweb.com e assessoria

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247