Polícias de AL e PE desarticulam quadrilha suspeita de tráfico e roubo

Investigação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), policiais de Alagoas e Pernambuco desarticularam uma quadrilha interestadual de roubo e de tráfico de drogas; eles agiam em Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe e teriam envolvimento com roubos diversificados, entre eles investidas a banco, e uma conexão com a comercialização ilícita de drogas

Investigação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), policiais de Alagoas e Pernambuco desarticularam uma quadrilha interestadual de roubo e de tráfico de drogas; eles agiam em Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe e teriam envolvimento com roubos diversificados, entre eles investidas a banco, e uma conexão com a comercialização ilícita de drogas
Investigação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), policiais de Alagoas e Pernambuco desarticularam uma quadrilha interestadual de roubo e de tráfico de drogas; eles agiam em Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe e teriam envolvimento com roubos diversificados, entre eles investidas a banco, e uma conexão com a comercialização ilícita de drogas (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - Após Investigação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), policiais de Alagoas e Pernambuco desarticularam nesta quarta-feira (10) uma quadrilha interestadual de roubo e de tráfico de drogas e que agia em, pelo menos, cinco estados do Nordeste. Foram expedidos 49 mandados de buscas e de prisões pela 17ª Vara Criminal da Capital.

Os alvos são considerados de grande articulação nos estados de Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe. Eles teriam envolvimento com roubos diversificados, entre eles investidas a banco, e uma conexão com a comercialização ilícita de drogas.

O grupo de criminosos pode ser responsável por 90% dos roubos de carga cometidos nas estradas alagoanas, segundo o Ministério Público Estadual. Os investigadores descobriram que a organização agia em cidades como São Sebastião, Porto Real do Colégio e Delmiro Gouveia, sem distinção do tipo de carga.

Nessa terça-feira (8), uma reunião com a participação de investigadores do Gecoc, da Deic e de Pernambuco para a discussão de alguns detalhes. O encontro ocorreu na Secretaria de Estado da Segurança Pública, que dá todo suporte à operação colocando unidades especializadas.

Dos mandados expedidos foram 26 de buscas, além 16 prisões referentes às buscas e mais sete mandados de prisão para detentos, ou seja representação contra reeducandos com participação no grupo criminoso  detectada durante as investigações.

A operação é coordenada pelos delegados Mário Jorge Barros (diretor da Deic) e  Guilherme Iusten , da Delegacia de Roubo de Cargas.

Com gazetaweb.com e assessoria

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247