Populismo sem limite: Iris quer a mão de obra do povo para limpar Goiânia

Assim como Joao Doria, que se vestiu de gari e não varreu um cisco em São Paulo, o prefeito Iris Rezende abusou do discurso populista em Goiânia; sem apresentar um projeto concreto ou anunciar medidas práticas na gestão, peemedebista disse que conta "com a mão de obra do povo também para limpar a cidade", que enfrenta problemas na coleta de lixo; aos 83 anos, Iris disse que vai retomar o mutirão, prática que ficou famosa nos anos 1960, quando ele foi prefeito de Goiânia pela primeira vez; no mutirão, cidadãos passam o dia executando serviços de responsabilidade da prefeitura, como construção de casas, limpeza de lotes e corte de árvores, em troca de um prato de comida

Assim como Joao Doria, que se vestiu de gari e não varreu um cisco em São Paulo, o prefeito Iris Rezende abusou do discurso populista em Goiânia; sem apresentar um projeto concreto ou anunciar medidas práticas na gestão, peemedebista disse que conta "com a mão de obra do povo também para limpar a cidade", que enfrenta problemas na coleta de lixo; aos 83 anos, Iris disse que vai retomar o mutirão, prática que ficou famosa nos anos 1960, quando ele foi prefeito de Goiânia pela primeira vez; no mutirão, cidadãos passam o dia executando serviços de responsabilidade da prefeitura, como construção de casas, limpeza de lotes e corte de árvores, em troca de um prato de comida
Assim como Joao Doria, que se vestiu de gari e não varreu um cisco em São Paulo, o prefeito Iris Rezende abusou do discurso populista em Goiânia; sem apresentar um projeto concreto ou anunciar medidas práticas na gestão, peemedebista disse que conta "com a mão de obra do povo também para limpar a cidade", que enfrenta problemas na coleta de lixo; aos 83 anos, Iris disse que vai retomar o mutirão, prática que ficou famosa nos anos 1960, quando ele foi prefeito de Goiânia pela primeira vez; no mutirão, cidadãos passam o dia executando serviços de responsabilidade da prefeitura, como construção de casas, limpeza de lotes e corte de árvores, em troca de um prato de comida (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O peemedebista Iris Rezende assumiu a prefeitura de Goiânia sem apresentar nenhum projeto concreto de trabalho ou anunciar corte de cargos e secretarias, como fizeram outros prefeitos de capitais que tomaram posse esta semana. A grande velha novidade de Iris foi afirmar que o mutirão está de volta. "Nós vamos contar com a mão de obra do povo também para limpar a cidade", disse no discurso em que deu posse a 15 secretários, na segunda-feira.

Já no domingo, quando tomou posse, Iris anunciou o retorno dos mutirões, agora sob nova roupagem. A fala repercutiu nacionalmente. Valor Econômico e Veja lembraram que ação era usada por Iris nos anos de 1960, quando ele foi prefeito de Goiânia pela primeira vez. No mutirão, a prefeitura estimulava cidadãos comuns a trabalhar o dia todo construindo casas, limpando lotes, podando árvores e executando outros serviços em troca de um prato de comida ou, às vezes, nem isso.

A comentarista política Fabiana Pulcineli, da CBN Goiânia, afirmou que os discursos de Iris até agora foram cheios de frases feitas. É praticamente impossível imaginar moradores de Goiânia, uma cidade moderna, deixando suas atividades diárias de lado para ajudar Iris e a Comurg a limpar a cidade. Não passa de populismo barato. Assim, como o prefeito João Doria, que se vestiu de gari e não varreu um cisco da rua em São Paulo.

O novo presidente da Comurg, Denes Pereira, em entrevista à CBN Goiânia, preferiu não estipular um prazo para que a coleta de lixo em Goiânia seja normalizado. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247