Power mostra sua força na Indy

Piloto australiano da equipe Penske vence pela segunda vez consecutiva a So Paulo Indy 300 e assume a liderana do campeonato; prova foi completada na manh desta segunda-feira

247, com informações da Agência Estado – O jejum de vitórias dos pilotos brasileiros na etapa local da Fórmula Indy alcança 15 anos. O australiano Will Power confirmou o favoritismo e venceu a conturbada etapa de São Paulo da Fórmula Indy 2011, enfim terminada na chuvosa manhã desta segunda-feira, para um público muito pequeno no circuito de rua do Anhembi, após o adiamento no domingo. Dono das quatro poles do ano, ele ainda assume a liderança da classificação, com 168 pontos.

A prova não terminou com as 75 voltas programadas. Ficou no limite do tempo de duas horas, com 55 voltas completadas – e 52min28 de corrida, com 1h08min23 ou 21 voltas sob bandeira amar ela. Completaram o pódio o norte-americano Graham Rahal (EUA/Ganassi), em segundo lugar, e o também australiano Ryan Briscoe (Penske), em terceiro. O atual bicampeão, o escocês Dario Franchitti (Ganassi), foi o quarto colocado.

Para os pilotos brasileiros, esta definitivamente não é uma corrida para se lembrar positivamente. O melhor foi Vitor Meira (AJ Foyt), o 17.º colocado. Hélio Castroneves (Penske) foi o 21.º e Tony Kanaan (KV-Lotus), o 22.º. Raphael Matos (AFS) abandonou após bater no muro, com Bia Figueiredo (Dreyer&Reinbold) na sequência – por passar por cima de alguma peça do carro do compatriota. O último brasileiro a vencer em casa uma etapa da Indy foi André Ribeiro, na Rio Indy 400 de 1996.

Chuva

A corrida recomeçou com 14 voltas completadas. E o drama com a chuva reapareceu de cara. Os carros deram uma volta com bandeira amarela e começou a garoar, com a pista ficando escorregadia. A bandeira vermelha de paralisação reapareceu, mas a organização decidiu autorizar a relargada. O incomum: ninguém acelerou. Todos direto para os boxes para trocar pneus - do macio (vermelho), para os de chuva.

Como a água continuou a cair, começaram os sustos com os limites. Power, por exemplo, na curva 1 (S do Samba) quase bateu no muro, de traseira - mas conseguiu corrigir e se manter na pista. Na 20.ª volta, Sebastien Bourdais (FRA/Dale Coyne) teve problemas e ficou apontado para os pneus, provocando a primeira bandeira após problemas no carro.

Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti) rodou mais uma vez na entrada da curva das Docas e atingiu o muro de tra seira, instantes depois. Caiu de terceiro (tinha sido ultrapassado por Takuma Sato) para 22.º com isso – e, como ele não tinha mais uma asa sobressalente pegou uma emprestada de Conway, com o número 27. Foram cinco voltas com bandeira amarela.

Na relargada, Sato, de fora, surpreendeu e passou Power na curva 1 – o australiano foi cauteloso demais com a freada -, com Franchitti chegando ao quarto lugar. O problema é que Graham Rahal (EUA/Ganassi) ficou em sentido contrário na pista, após rodar, e mais uma bandeira amarela foi sinalizada. No embalo, Matos bateu e teve de trocar o bico frontal. Foi punido por reabastecer sem autorização. E teve de voltar aos pits.

Com outro recomeço, a água espirrada pelos pneus era forte. A visibilidade, mínima. Tanto que Matos (atingido, teve a suspensão quebrada e asas e foi forçado a abandonar) foi para a chicane e Bia e Kanaan, que vinham junto, foram no embalo. E agora foi a vez de Wilson rodar no tre cho interno, mais lento, ficando ao contrário do sentido da pista. No mesmo local ainda rodaram Alex Tagliani (CAN/Sam Schmidt) e Danica Patrick (EUA/Andretti).

Essas rodadas forçaram a mais uma bandeira amarela na volta 33. Sato, Viso e Andretti não pararam para reabastecer e assumiram as três primeiras posições no reinício, com os dois últimos protagonizando um bom duelo pela vice-liderança, dividindo a curva 11, na entrada do Sambódromo - e, por considerar que mudou de trajeto para defender a posição, o venezuelano foi punido com uma passagem pelos boxes. 

Quem surpreendeu pela velocidade e ataque foi a suíça Simona de Silvestro (HVM). Ao contrário do usual, ela era a retardatária, em 20º lugar, e foi tirando as voltas para trás dos ponteiros com ultrapassagens. Parecia até que estava brigando pela vitória mas ficou longe disso – terminou com nove voltas atrás.

A próxima etapa da temporada da F-Indy é a tradicional 500 milhas de Indianápolis, em 29 de maio. O brasileiro Hélio Castroneves tentará sua quarta vitória na tradicional prova. Até hoje, os maiores vencedores no circuito oval são A. J. Foyt, Al Unser e Rick Mears.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247