Pré-condenado, J. Paulo pode perder candidatura

Faltam apenas dois votos para que o ex-presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha, que concorre à rica prefeitura de Osasco (SP), seja condenado na Ação Penal 470; dirigentes do PT e o próprio Lula defendem sua saída da corrida eleitoral em caso de condenação

Pré-condenado, J. Paulo pode perder candidatura
Pré-condenado, J. Paulo pode perder candidatura (Foto: Folhapress)

247 – O 16º dia de julgamento da Ação Penal 470 pode selar o destino de um candidato. Até agora derrotado por quatro votos a dois, João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, deverá ser condenado hoje, a prevalecer a expectativa dos que acompanham o caso. Tanto Cezar Peluso, o próximo a votar, como os ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Ayres Britto devem se pronunciar por sua condenação, caso haja tempo para todos votarem – há também a possibilidade de que Peluso leia seu voto na íntegra, abordando os casos de outros réus, como José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares.

Acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e duas vezes por peculato, João Paulo Cunha só teve votos favoráveis de Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Rosa Weber e Luiz Fux, que poderiam se posicionar alinhados com a defesa, o condenaram. Portanto, ele está a um passo da condenação e dificilmente conseguirá sustentar sua candidatura à prefeitura de Osasco, uma das mais ricas cidades de São Paulo, onde fica a Cidade de Deus, sede do Bradesco.

João Paulo cometeu o erro da precipitação, ao se comparar a Getúlio Vargas e dizer que “muitos não chegam a setembro”, lembrando o presidente que, acossado por adversários políticos, se suicidou no dia 24 de agosto de 1954. Há também o risco de que João Paulo não chegue a setembro. E tanto dirigentes do PT como o ex-presidente Lula, que é seu amigo pessoal, tentarão demovê-lo da tentativa de levar adiante a candidatura, caso seja mesmo condenado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247