Prefeito de Embu acusado de tráfico participou de protestos do MBL

Acusado de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), o prefeito de Embu das Artes (SP), Ney Santos, fugiu do país em um voo clandestino em direção ao Paraguai. Ele tem um mandado de prisão sob acusação de tráfico de drogas, associação ao crime organizado, lavagem de dinheiro e evasão de divisas; o prefeito chegou a ser preso por roubo de malotes em Marília em 2003

Acusado de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), o prefeito de Embu das Artes (SP), Ney Santos, fugiu do país em um voo clandestino em direção ao Paraguai. Ele tem um mandado de prisão sob acusação de tráfico de drogas, associação ao crime organizado, lavagem de dinheiro e evasão de divisas; o prefeito chegou a ser preso por roubo de malotes em Marília em 2003
Acusado de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), o prefeito de Embu das Artes (SP), Ney Santos, fugiu do país em um voo clandestino em direção ao Paraguai. Ele tem um mandado de prisão sob acusação de tráfico de drogas, associação ao crime organizado, lavagem de dinheiro e evasão de divisas; o prefeito chegou a ser preso por roubo de malotes em Marília em 2003 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - Acusado de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), o prefeito de Embu das Artes (SP), Ney Santos, fugiu do país na sexta-feira (2) em um voo clandestino em direção ao Paraguai. Ele tem um mandado de prisão sob acusação de tráfico de drogas, associação ao crime organizado, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A Câmara Municipal afastou na terça-feira (6) por 11 votos a 4. Ney Santos estava no cargo por força de uma liminar concedida no ano passado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello. Ele Ele pediu o afastamento alegando problemas “particulares”, mas a decisão da Câmara termina beneficiando o chefe do executivo municipal, porque não poderá perder o cargo por abandono.

O prefeito chegou a ser preso por roubo de malotes em Marília em 2003, mas saiu da prisão em 2006. De acordo com a polícia, nos últimos anos ele acumulou um patrimônio de mais de R$ 50 milhões.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247