Prefeito pede desculpa à população por entregar chave da cidade a Deus

Depois de 'entregar a chave da cidade a Deus', o prefeito de Guanambi (cidade no sudoeste da Bahia), Jairo Magalhães (PSB), pediu desculpas à população, e disse que não estará "na contramão da sociedade brasileira", e que "a pluralidade e a diversidade religiosa será (sic) respeitada em toda a gestão"; na nota em que pede desculpas, Jairo nega ter ferido o princípio de laicidade do Estado, e diz que "não teve como intenção causar nenhuma dissensão ou debate de cunho religioso"

Depois de 'entregar a chave da cidade a Deus', o prefeito de Guanambi (cidade no sudoeste da Bahia), Jairo Magalhães (PSB), pediu desculpas à população, e disse que não estará "na contramão da sociedade brasileira", e que "a pluralidade e a diversidade religiosa será (sic) respeitada em toda a gestão"; na nota em que pede desculpas, Jairo nega ter ferido o princípio de laicidade do Estado, e diz que "não teve como intenção causar nenhuma dissensão ou debate de cunho religioso"
Depois de 'entregar a chave da cidade a Deus', o prefeito de Guanambi (cidade no sudoeste da Bahia), Jairo Magalhães (PSB), pediu desculpas à população, e disse que não estará "na contramão da sociedade brasileira", e que "a pluralidade e a diversidade religiosa será (sic) respeitada em toda a gestão"; na nota em que pede desculpas, Jairo nega ter ferido o princípio de laicidade do Estado, e diz que "não teve como intenção causar nenhuma dissensão ou debate de cunho religioso" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Depois de 'entregar a chave da cidade a Deus', o prefeito de Guanambi (cidade no sudoeste da Bahia), Jairo Magalhães (PSB), pediu desculpas à população, e disse que não estará "na contramão da sociedade brasileira", e que "a pluralidade e a diversidade religiosa será (sic) respeitada em toda a gestão".

O primeiro decreto do prefeito, assinado na segunda-feira (2) - primeiro dia útil de sua gestão, ele afirmou ter foi designado "designado por Deus", e, portanto, estabeleceu que "todos os Principados e Potestades, governadores deste mundo tenebroso, e as forças espirituais do mal, nesta cidade, estarão sujeitas (sic) ao Senhor Jesus Cristo de Nazaré".

Na nota em que pede desculpas, Jairo Magalhães nega ter ferido o princípio de laicidade do Estado, e diz que "não teve como intenção causar nenhuma dissensão ou debate de cunho religioso". "A real intenção da publicação, diante do ambiente de intolerância e assustadora violência que atormenta as famílias e a sociedade, foi de apelar a todas as crenças, suplicando a mesma proteção de Deus, que é rogado na nossa Constituição".

O prefeito diz ainda que respeita "todos os credos", e que "sempre defendeu e ajudou a aprovar por meio do seu voto, parcerias e projetos de interesse social, com as mais diversas entidades religiosas, ou não".

Decreto foi copiado

O Decreto Nº1 de Magalhães é copiado de um decreto da prefeita Ilma Grisoste (PSD), que perdeu a última eleição em Sapezal, em Mato Grosso, e assinou o documento dias antes de deixar o cargo. Em 2011, a prefeita Carmen Lima Duarte (DEM), de Porto dos Gaúchos, também em Mato Grosso, entregou a chave da cidade a Jesus. Na ocasião, ela convidou líderes religiosos para simbolicamente receber a homenagem.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247