Prefeito sanciona lei para 'impulsionar a economia'

Prefeito ACM Neto assinou nesta segunda-feira a lei que altera os cálculos da outorga onerosa e o encaminhamento à Câmara Municipal do projeto que facilita o pagamento do Imposto de Transmissão Inter Vivos (ITIV); o democrata afirmou que a ação só foi possível graças à política de austeridade fiscal adotada desde 2013, que possibilitou o equilíbrio das contas municipais; "Mesmo com a queda na arrecadação, prevista para R$110 milhões somente nos primeiros cinco meses deste ano, entendemos que é impulsionando a economia com a dinamização do setor produtivo que vamos conseguir gerar emprego, o que a longo prazo refletirá positivamente na arrecadação municipal"

Prefeito ACM Neto assinou nesta segunda-feira a lei que altera os cálculos da outorga onerosa e o encaminhamento à Câmara Municipal do projeto que facilita o pagamento do Imposto de Transmissão Inter Vivos (ITIV); o democrata afirmou que a ação só foi possível graças à política de austeridade fiscal adotada desde 2013, que possibilitou o equilíbrio das contas municipais; "Mesmo com a queda na arrecadação, prevista para R$110 milhões somente nos primeiros cinco meses deste ano, entendemos que é impulsionando a economia com a dinamização do setor produtivo que vamos conseguir gerar emprego, o que a longo prazo refletirá positivamente na arrecadação municipal"
Prefeito ACM Neto assinou nesta segunda-feira a lei que altera os cálculos da outorga onerosa e o encaminhamento à Câmara Municipal do projeto que facilita o pagamento do Imposto de Transmissão Inter Vivos (ITIV); o democrata afirmou que a ação só foi possível graças à política de austeridade fiscal adotada desde 2013, que possibilitou o equilíbrio das contas municipais; "Mesmo com a queda na arrecadação, prevista para R$110 milhões somente nos primeiros cinco meses deste ano, entendemos que é impulsionando a economia com a dinamização do setor produtivo que vamos conseguir gerar emprego, o que a longo prazo refletirá positivamente na arrecadação municipal" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O prefeito ACM Neto (DEM) assinou nesta segunda-feira (29) a lei que altera os cálculos da outorga onerosa e o encaminhamento ao Legislativo municipal do projeto que facilita o pagamento do Imposto de Transmissão Inter Vivos (ITIV). O mercado imobiliário, segundo a prefeitura, é um dos maiores geradores de emprego e renda da capital baiana.

ACM Neto agradeceu o "empenho" dos vereadores pela aprovação da alteração dos cálculos da outorga onerosa, e afirmou que a ação só foi possível graças à política de austeridade fiscal adotada desde 2013, que possibilitou o equilíbrio das contas municipais.

"Mesmo com a queda na arrecadação, prevista para R$110 milhões somente nos primeiros cinco meses deste ano, entendemos que é impulsionando a economia com a dinamização do setor produtivo que vamos conseguir gerar emprego, o que a longo prazo refletirá positivamente na arrecadação municipal."

Outorga onerosa

A Outorga Onerosa do Direito de Construir "é uma importante ferramenta da política urbana para o ordenamento territorial", segundo a prefeitura, e é o instrumento pelo qual o poder público municipal define o pagamento de contrapartida financeira a ser prestada por instituições que desejam realizar construções na cidade. Trata-se da concessão emitida pela prefeitura para essas construções, entendendo que qualquer empreendimento da cidade precisa oferecer contrapartidas ao município.

Quando foram estabelecidos limitadores ao valor do IPTU, não houve a mesma previsão no cálculo da contrapartida financeira pela outorga onerosa do direito de construir. Isso fez surgir distorções no valor apurado da outorga. Em algumas situações, o valor exigido pelo poder público pela utilização da outorga onerosa do direito de construir poderia exceder, em muito, o do terreno, podendo inviabilizar economicamente empreendimentos.

A receita da contrapartida financeira será obrigatoriamente destinada a programas de regularização fundiária, projetos habitacionais e de interesse social, constituição de reserva fundiária, ordenamento e direcionamento da expansão urbana, implantação de equipamentos urbanos e comunitários, criação de espaços públicos de lazer e áreas verdes, implementação de unidades de conservação ou proteção de outras áreas de interesse ambiental, e proteção e recuperação de áreas de interesse histórico, cultural e paisagístico.

ITIV

O projeto de lei do ITIV - tributo pago no ato da compra de um imóvel ou na transmissão de titularidade do proprietário - prevê o parcelamento em até 12 vezes do tributo, com a primeira parcela vencendo em até 30 dias a contar da assinatura do contrato de compra e venda do imóvel, além de desconto de 10% no pagamento à vista. Atualmente, o imposto corresponde a 3% do valor do imóvel e é pago em apenas uma única parcela.

O documento propõe ainda isenção do IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial Urbana) para imóveis destinados à construção de empreendimentos vinculados a programas habitacionais de interesse social, para família com renda mensal de até três salários mínimos, assim como aqueles utilizados pelos Povos e Comunidades de Terreiros Reconhecidos e registrados no banco de dados do município.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247