Prefeito solicita R$ 27 milhões ao Ministério da Saúde

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, solicitou ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, na quinta-feira, durante a visita dele ao Estado, a reposição dos repasses financeiros para a cidade, descontados pelo ministério nos últimos dois anos, mas que não foram utilizados pela gestão anterior; os recursos solicitados, que somam mais de R$ 27 milhões, irão viabilizar a construção da maternidade do bairro 17 de Março e a implantação dos programas “Melhor em Casa”, Telessaúde e do Prontuário Eletrônico, além da ampliação das equipes de Saúde da Família

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, solicitou ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, na quinta-feira, durante a visita dele ao Estado, a reposição dos repasses financeiros para a cidade, descontados pelo ministério nos últimos dois anos, mas que não foram utilizados pela gestão anterior; os recursos solicitados, que somam mais de R$ 27 milhões, irão viabilizar a construção da maternidade do bairro 17 de Março e a implantação dos programas “Melhor em Casa”, Telessaúde e do Prontuário Eletrônico, além da ampliação das equipes de Saúde da Família
O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, solicitou ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, na quinta-feira, durante a visita dele ao Estado, a reposição dos repasses financeiros para a cidade, descontados pelo ministério nos últimos dois anos, mas que não foram utilizados pela gestão anterior; os recursos solicitados, que somam mais de R$ 27 milhões, irão viabilizar a construção da maternidade do bairro 17 de Março e a implantação dos programas “Melhor em Casa”, Telessaúde e do Prontuário Eletrônico, além da ampliação das equipes de Saúde da Família (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, solicitou ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta quinta-feira (5), durante a visita dele ao Estado, a reposição dos repasses financeiros para a cidade, descontados pelo ministério nos últimos dois anos, mas que não foram utilizados pela gestão anterior. Os recursos solicitados, que somam mais de R$ 27 milhões, irão viabilizar a construção da maternidade do bairro 17 de Março e a implantação dos programas “Melhor em Casa”, Telessaúde e do Prontuário Eletrônico, além da ampliação das equipes de Saúde da Família.

A solicitação de Edvaldo foi feita ao ministro durante audiência que reuniu o governador Jackson Barreto, o vice-governador Belivaldo Chagas, o secretário municipal da Saúde, André Sotero, a secretária estadual da Saúde, Conceição Mendonça, e assessores, que ocorreu no Palácio dos Despachos do Governo do Estado.

“A maior reivindicação que fizemos ao ministro se deu em decorrência da perda de repasses financeiros de Aracaju durante os anos de 2015 e 2016, para que haja uma recomposição destes recursos notadamente para as unidades básicas de saúde, pois perdemos 12 equipes de saúde da família, porque a gestão anterior não mandava os dados necessários. É preciso recompor. Também solicitamos os recursos para o programa Melhor em Casa, voltado ao tratamento em domicílio de doentes crônicos, para o prontuário eletrônico e o Telessaúde, que colocará os postos em rede, além de recursos para a média complexidade e para a maternidade do 17 de Março. O ministro ficou de estudar e se colocou à disposição”, afirmou Edvaldo.

No documento assinado pelo prefeito e pelo secretário da Saúde foi solicitada a liberação de R$ 14,9 milhões destinados à construção da maternidade do 17 de Março. Para a Atenção Básica, a solicitação foi de R$ 2,8 milhões para 12 equipes de Saúde da Família, R$ 2,6 milhões para oito equipes multiprofissionais para habilitação do programa Melhor em Casa, R$ 666 mil para reforma de unidades de saúde e R$ 180 mil para cinco novas equipes do programa Academia da Cidade.

Para a Atenção Especializada, o prefeito e o secretário solicitaram pouco mais de R$ 1 milhão para o programa Brasil Sorridente e R$ 1,3 milhão para ampliação e incorporação do teto de média e alta complexidade, recurso que servirá para exames e consultas especializadas. Para o programa Saúde do Homem, a solicitação é de R$ 100 mil. Outros R$ 3,3 milhões foram solicitados para a Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência. No ofício entregue ao ministro ainda foi feito o pedido de 26 kits do programa Telessaúde e 400 computadores para implantação do Prontuário Eletrônico.

“Espero que possamos conseguir a liberação destes recursos que serão muito importantes para iniciar o projeto de reestruturação da Saúde de Aracaju, que nos últimos anos passou por uma um hecatombe. Vamos trabalhar”, disse o prefeito, frisando que no próximo mês irá a Brasília cobrar as respostas para as reivindicações.

O secretário André Sotero considerou a visita do ministro “extremamente proveitosa”. Ele, no entanto, lamentou que Aracaju tenha perdido verbas em decorrência da “falta de compromisso da gestão anterior em cumprir as determinações do Ministério da Saúde”. “A nossa tentativa é no sentido de recuperar estes recursos, mas ouvimos do ministro que não será fácil”, pontuou.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o encontro foi proveitoso. Ele garantiu que estudará as solicitações. “Recebi várias demandas e garanto que analisaremos a fundo todas as solicitações. Nós daremos o máximo de atenção para que possamos cumprir a participação do governo federal”, afirmou.

Encontro

Antes da audiência com o ministro, o prefeito participou do I Encontro de Gestores Públicos de Sergipe, do qual o ministro Ricardo Barros foi o principal palestrante. No evento, o representante do governo federal e o prefeito Edvaldo Nogueira assinaram uma portaria do Ministério de incentivo financeiro para custeio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A verba garantirá a compra de duas unidades de suporte avançado e seis unidades de suporte básico para Aracaju.

No encontro, promovido pela Federação dos Municípios do Estado de Sergipe, Edvaldo Nogueira disse que é fundamental que a maior parte dos problemas de saúde seja solucionada na prevenção e na Atenção Básica. “É preciso investir na prevenção e fazer promoção da saúde, desde a alimentação, incentivando ao exercício físico para que as pessoas evitem a ida ao serviço de saúde. Atualmente, o paciente chega à unidade de saúde e demora a ser atendido. Então é preciso melhorar esse gargalo e que haja uma remodelação do sistema para enfrentar, de fato, as dificuldades do nosso país”, afirmou.

Visitas

Mais cedo, o prefeito acompanhou o ministro nas visitas aos hospitais Cirurgia e Santa Izabel, ambos localizados na capital sergipana. “É muito importante a vinda do ministro para nossa capital. Sabemos que a saúde em Aracaju passa por uma crise e vamos aproveitar a presença do ministro Ricardo Barros para entregar um documento com algumas demandas e solicitando apoio para enfrentar o problema”, destacou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247