Prefeito tucano volta a parcelar salários de servidores

Os servidores de Porto Alegre irão receber a primeira parcela de seus salários do mês de agosto com valor até R$ 2.350, ou 33% da folha de pessoal; parcelamento é menor do que o do mês passado, quando o valor de R$ até 5.450 e atendeu a 71% dos funcionários; o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) atribui o parcelamento ao aumento do déficit no mês de agosto

Prefeito tucano volta a parcelar salários de servidores
Prefeito tucano volta a parcelar salários de servidores (Foto: Joana Berwanger/Sul21)

Por Sul 21 - Os servidores municipais de Porto Alegre irão receber, nesta sexta-feira (31), a primeira parcela de seus salários do mês de agosto, com valor de R$ 2.350. O montante integraliza 33% da folha de pessoal (10,3 mil matrículas), ao passo em que faltam R$ 71,2 milhões para o pagamento total da folha. O parcelamento tem uma linha de corte ainda menor em relação ao mês passado, em que a primeira parcela teve valor de R$ 5.450, integralizando os salários de 71% dos servidores.

A administração de Nelson Marchezan Júnior (PSDB) atribui o parcelamento ao aumento do déficit no mês de agosto, “agravado pela não aprovação das reformas estruturantes propostas pelo Executivo”. “Avisamos, desde o início do governo, que Porto Alegre precisa fazer as reformas necessárias para enfrentar o histórico déficit financeiro”, afirma o secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto. O valor total da folha é de R$ 178,1 milhões (incluindo consignações, contribuição previdenciária, seguros).

O secretário fez uma comparação com a situação da administração estadual, a qual também costuma parcelar os salários dos servidores. “A cada dia, Porto Alegre se aproxima da situação de calamidade financeira do Estado. No entanto, a Capital tem a oportunidade de mudar esta situação. O Legislativo tem a responsabilidade de encarar os problemas da cidade, buscando aprovar a atualização do IPTU e revisar os aumentos automáticos do funcionalismo”, pede Busatto. Os próprios funcionários municipais, porém, são contrários à mudança na carreira e o Sindicato dos Municipários (Simpa) promove uma greve contra os projetos da Prefeitura e contra o próprio parcelamento.

A Prefeitura afirma que o pagamento integral de todos os servidores deverá ocorrer até 12 de setembro, quatro dias após o mês anterior. O parcelamento de salários começou a ser realizado pelo governo Marchezan entre junho e novembro de 2017. De dezembro do ano passado a junho de 2018, os valores fora pagos integralmente, mas, há dois meses, a Prefeitura voltou a parcelar os vencimentos.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247