Prefeitos pressionam Assembleia a liberar empréstimo ao governo

Em nota da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), os prefeitos do estado se manifestaram em favor dos empréstimos de R$ 600 milhões que aguardam para serem analisados por deputado estaduais na Assembleia Legislativa; de acordo com o presidente da ATM, Jairo Mariano (PDT), prefeito de Pedro Afonso, há um grande interesse por parte dos gestores municipais pela aprovação desses empréstimos, porque "as obras e serviços que serão executados pelo Estado com os recursos do financiamento trarão benefícios diretos aos municípios, como a geração de emprego e renda, os incrementos ao comércio, o aumento da arrecadação local e o fomento à economia"

Em nota da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), os prefeitos do estado se manifestaram em favor dos empréstimos de R$ 600 milhões que aguardam para serem analisados por deputado estaduais na Assembleia Legislativa; de acordo com o presidente da ATM, Jairo Mariano (PDT), prefeito de Pedro Afonso, há um grande interesse por parte dos gestores municipais pela aprovação desses empréstimos, porque "as obras e serviços que serão executados pelo Estado com os recursos do financiamento trarão benefícios diretos aos municípios, como a geração de emprego e renda, os incrementos ao comércio, o aumento da arrecadação local e o fomento à economia"
Em nota da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), os prefeitos do estado se manifestaram em favor dos empréstimos de R$ 600 milhões que aguardam para serem analisados por deputado estaduais na Assembleia Legislativa; de acordo com o presidente da ATM, Jairo Mariano (PDT), prefeito de Pedro Afonso, há um grande interesse por parte dos gestores municipais pela aprovação desses empréstimos, porque "as obras e serviços que serão executados pelo Estado com os recursos do financiamento trarão benefícios diretos aos municípios, como a geração de emprego e renda, os incrementos ao comércio, o aumento da arrecadação local e o fomento à economia" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Em nota da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), os prefeitos do estado se manifestaram em favor dos empréstimos de R$ 600 milhões que aguardam para serem analisados por deputado estaduais na Assembleia Legislativa. De acordo com o presidente da ATM, Jairo Mariano (PDT), prefeito de Pedro Afonso, há um grande interesse por parte dos gestores municipais pela aprovação desses empréstimos, porque "as obras e serviços que serão executados pelo Estado com os recursos do financiamento trarão benefícios diretos aos municípios, como a geração de emprego e renda, os incrementos ao comércio, o aumento da arrecadação local e o fomento à economia".

"São ações em diversas frentes de trabalho como infraestrutura, saúde, segurança pública e educação, com resultados que chegarão diretamente às populações locais", complementou. O empréstimo foi autorizado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

 O dirigente afirmou que a ATM não quer interferir na discussão do mérito, nem tão pouco intervir em possível divergência entre Executivo e Legislativo estadual. "Queremos apenas que as obras sejam iniciadas e concluídas", acrescentou.

Mariano disse que a capacidade de investimento do estado é extremamente reduzida e, como consequência, não existe alternativa imediata para o andamento das obras a não ser pela contratação do empréstimo. "O Tocantins, por ser um estado recém-criado, necessita de obras e serviços estruturantes".

A carta-consulta apresentada à Caixa busca a captação de R$ 453,24 milhões, e ao Banco do Brasil, o valor de R$ 146,76 milhões. De acordo com o Executivo, mesmo com a lei autorizativa aprovada, isso não significa que todo o empréstimo solicitado será concedido integralmente. Tendo em vista que cada item passa pela avaliação técnica das instituições financeiras.



Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247