Presidente do PHS é suspeito de uso irregular do Fundo Partidário

O goiano Eduardo Machado, presidente afastado do PHS, se vê mais uma vez em polêmica; ele teria usado R$ 486 mil do Fundo Partidário para comprar os três carros que usa, inclusive para ir à sua fazenda; a empresa da qual ele comprou a caminhonete e os dois sedãs de luxo tem como sócios a mãe e quatro tios de Machado; Eduardo Machado já havia virado notícia nacional neste mês; reportagem do Bom Dia, Brasil mostrou que ele usou dinheiro público do Fundo Partidário para contratar uma banda de rock para animar uma festa do partido, além de seis barris de chope

O goiano Eduardo Machado, presidente afastado do PHS, se vê mais uma vez em polêmica; ele teria usado R$ 486 mil do Fundo Partidário para comprar os três carros que usa, inclusive para ir à sua fazenda; a empresa da qual ele comprou a caminhonete e os dois sedãs de luxo tem como sócios a mãe e quatro tios de Machado; Eduardo Machado já havia virado notícia nacional neste mês; reportagem do Bom Dia, Brasil mostrou que ele usou dinheiro público do Fundo Partidário para contratar uma banda de rock para animar uma festa do partido, além de seis barris de chope
O goiano Eduardo Machado, presidente afastado do PHS, se vê mais uma vez em polêmica; ele teria usado R$ 486 mil do Fundo Partidário para comprar os três carros que usa, inclusive para ir à sua fazenda; a empresa da qual ele comprou a caminhonete e os dois sedãs de luxo tem como sócios a mãe e quatro tios de Machado; Eduardo Machado já havia virado notícia nacional neste mês; reportagem do Bom Dia, Brasil mostrou que ele usou dinheiro público do Fundo Partidário para contratar uma banda de rock para animar uma festa do partido, além de seis barris de chope (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O goiano Eduardo Machado, presidente afastado do PHS, se vê mais uma vez em polêmica. O jornal Correio Braziliense informa que ele gastou R$ 486 mil do Fundo Partidário para comprar os três carros que usa, inclusive para ir à sua fazenda.

A empresa da qual ele comprou a caminhonete e os dois sedãs de luxo tem como sócios a mãe e quatro tios de Machado.

A família do presidente da legenda, acrescenta a reportagem, também foi beneficiada com R$ 225 mil referentes ao pagamento de material promocional da Funsol, fundação vinculada ao PHS, arrematado numa loja pertencente a uma prima de Machado, que atua como advogada do partido.

Eduardo Machado já havia virado notícia nacional neste mês. Reportagem do Bom Dia, Brasil mostrou que ele usou dinheiro público do Fundo Partidário para contratar uma banda de rock (Beatlesmania) para animar uma festa do partido, além de seis barris de chope.

O evento, segundo dirigentes, era do PHS Mulher e tinha objetivo de “promover a participação feminina na política”. Os seis barris tinham 50 litros cada, o que é suficiente para deixar bêbadas aproximadamente 200 pessoas, segundo Pedro Henrique Lustosa, que forneceu o chope para galera de Eduardo Machado.

Eron Pessoa, assessor-chefe de contas partidárias do Tribunal Superior Eleitoral, afirma que o dinheiro do fundo partidário pode ser usado na promoção da participação de mulheres na política, mas apenas em cursos de capacitação. “Jamais em festas, bandas de rock ou consumo de bebidas alcoólicas. Estão desvirtuando o propósito do fundo partidário”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247