Presidente do TJ elogia Hugol: "Orgulho de Goiás"

Leobino Valente Chaves, presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, visitou o hospital acompanhado de Marconi, e afirmou que unidade representa “orgulho” para o Estado de Goiás e que a iniciativa do governo estadual de construí-lo demonstra “criatividade e arrojo”; momentos antes, o governador liderou a quinta visita ao Hugol, apresentado as instalações do complexo de saúde pública a representantes do Ministério Público de Goiás, do Tribunal de Contas do Município e do Tribunal de Contas do Estado; ao grupo, Marconi informou que o governo estadual investiu R$ 168 milhões na construção e R$ 95 milhões em equipamentos no Hugol; hospital será inaugurado dia 6 de julho

Governador Marconi Perillo na visita ao HUGOL com Desembargadores e Ju�zes. Na Foto: Governador, Marconi Perillo e Presidente do Tribunal de Justi�a de Goi�s, Leobino Valente Chaves. Fotos: Wagnas Cabral. Data: 26.06.2015.
Governador Marconi Perillo na visita ao HUGOL com Desembargadores e Ju�zes. Na Foto: Governador, Marconi Perillo e Presidente do Tribunal de Justi�a de Goi�s, Leobino Valente Chaves. Fotos: Wagnas Cabral. Data: 26.06.2015. (Foto: José Barbacena)

Presidente do TJ elogia HUGOL e diz que governo
demonstra criatividade e arrojo ao fazer a obra

Marconi liderou hoje visitas com representantes do MP, TCE e TCM e, em seguida, com desembargadores e juízes

Goiás 247 - O presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, Leobino Valente Chaves, afirmou na manhã desta sexta-feira (26/6) que o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol) representa “orgulho” para o Estado de Goiás e que a iniciativa do Governo Estadual de construí-lo demonstra “criatividade e arrojo”. A declaração foi dada durante a sexta visita à unidade, liderada pelo governador Marconi Perillo, da qual participou comitiva de desembargadores e juízes do TJ-GO.

“Quando nós vemos, constantemente pela mídia, hospitais caóticos, pacientes sendo tratados nos corredores, filas e atendimento desumano, eu faço um paralelo entre o Brasil e países míseros da África. E Goiás, com a gestão na Saúde, está entrando numa área diferenciada. Por isso, não poderia deixar de parabenizar a gestão que o senhor, governador, está fazendo na Saúde em Goiás, pois sabemos que os recursos são poucos”, discou o presidente do TJ.

Momentos antes, o governador liderou a quinta visita ao Hugol, apresentado as instalações do complexo de saúde pública a representantes do Ministério Público de Goiás, do Tribunal de Contas do Município e do Tribunal de Contas do Estado. Ao grupo, Marconi informou que o governo estadual investiu R$ 168 milhões na construção e R$ 95 milhões em equipamentos no Hugol. A partir de agora, vai investir R$ 15 milhões por mês na manutenção da unidade, que está instalada em terreno equivalente a 12 campos de futebol.

“É uma obra de grande magnitude, é a maior obra de saúde pública do país. Quero destacar que a Agetop fez um trabalho primoroso de acompanhamento dessa obra e nós acreditamos que, já no dia 6, mais de 70% das atividades do Hugol já estejam em funcionamento”, disse o governador. Ele destacou ainda que, em dois ou três anos, o Hugol chegará a 100 mil metros quadrados de área construída. “Agora, é só o começo do que ainda será esse hospital.”

Durante cerca de três horas de visitas guiadas por Marconi, ele destacou que a presidente Dilma o teria questionado sobre o custo que o governo federal teria para investir no complexo. “E eu disse que o custo era zero, que o hospital já estava pronto. Então, a presidente decidiu ajudar no funcionamento do Hugol, com o custeio. E o custeio do Hugol, em cerca de dois anos, já será equivalente ao custo da obra.”

Segundo dados apresentados pelo próprio governador, enquanto o metro quadrado de um apartamento comum financiado pela Caixa Econômica custa em média R$ 3,5 mil, o metro quadrado do Hugol custou menos de R$ 2,4 mil. Ele atestou também que a unidade foi construída em tempo recorde, sendo 25 meses de execução da obra.

A nova unidade de saúde terá 360 leitos, cinco pavimentos de enfermarias para internação, 10 leitos de observação e 40 UTIs neonatal e pediátrica, 13 leitos para vítimas de queimaduras, 21 consultórios médicos, além do atendimento a serviços médicos de urgência e emergência, entre outros. Cada ala do hospital receberá o nome de médicos goianos que se dedicaram e se dedicam à medicina, com placa, foto e pequeno currículo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247