Preso na papuda, Geddel irá pedir afastamento do PMDB

Ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na semana passada pela Polícia Federal e lavado para o presídio da Papuda, em Brasília,, deverá pedir o seu afastamento do PMDB nesta quarta-feira (13); tendência da cúpula da legenda é aceitar o pedido de afastamento na mesma data; Geddel é o primeiro-secretário da direção nacional do PMDB e da presidência do partido na Bahia; afastamento é uma estratégia para tentar minimizar a crise aberta pela prisão do ex-ministro e blindar Michel Temer, de quem Geddel era um dos colaboradores mais próximos

Ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na semana passada pela Polícia Federal e lavado para o presídio da Papuda, em Brasília,, deverá pedir o seu afastamento do PMDB nesta quarta-feira (13); tendência da cúpula da legenda é aceitar o pedido de afastamento na mesma data; Geddel é o primeiro-secretário da direção nacional do PMDB e da presidência do partido na Bahia; afastamento é uma estratégia para tentar minimizar a crise aberta pela prisão do ex-ministro e blindar Michel Temer, de quem Geddel era um dos colaboradores mais próximos
Ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na semana passada pela Polícia Federal e lavado para o presídio da Papuda, em Brasília,, deverá pedir o seu afastamento do PMDB nesta quarta-feira (13); tendência da cúpula da legenda é aceitar o pedido de afastamento na mesma data; Geddel é o primeiro-secretário da direção nacional do PMDB e da presidência do partido na Bahia; afastamento é uma estratégia para tentar minimizar a crise aberta pela prisão do ex-ministro e blindar Michel Temer, de quem Geddel era um dos colaboradores mais próximos (Foto: Paulo Emílio)

Bahia 247 - O ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na semana passada pela Polícia Federal, deverá pedir o seu afastamento do PMDB nesta quarta-feira (13). A tendência da cúpula da legenda é aceitar o pedido de afastamento na mesma data. Geddel é o o primeiro-secretário da direção nacional do PMDB e da presidência do partido na Bahia.

O pedido de afastamento é uma estratégia para tentar minimizar a crise aberta pela prisão de Geddel, após a PF encontrar R$ 51 milhões escondidos em um apartamento de Salvador ligado ao ex-ministro, e barrar que o episódio respingue em Michel Temer, de quem Geddel era um dos colaboradores mais próximos.

Desde a prisão do ex-ministro, a cúpula do PMDB tem tentado evitar defender o correligionário, afirmando que os acusados envolvidos em desvios e irregularidades devem responder sozinhos pelas suspeitas contra eles.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247