PRF registra 28 mortes nas estradas federais

A Policia Rodoviária Federal (PRF) divulgou o balanço de férias das rodovias federais que passam por Goiás; dados oferecidos pela assessoria de comunicação da corporação mostram que o número de mortos aumentou em relação ao mesmo período do ano passado; cerca de 28 pessoas perderam a vida nas estradas neste ano, enquanto em 2016 foram registrados 21 casos

Grave acidente na BR-364, no último sábado, deixou mortos um idoso de 73 anos e a neta dele, de dez (Foto: PRF)
Grave acidente na BR-364, no último sábado, deixou mortos um idoso de 73 anos e a neta dele, de dez (Foto: PRF) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Mais Goiás - A Policia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta quarta-feira (2) o balanço de férias das rodovias federais que passam por Goiás. Dados oferecidos pela assessoria de comunicação da corporação mostram que o número de mortos aumentou em relação ao mesmo período do ano passado. Cerca de 28 pessoas perderam a vida nas estradas neste ano, enquanto em 2016 foram registrados 21 casos.

Apesar do aumento de casos de óbitos, o número de acidentes diminuiu em relação ao ano passado. No total, no decorrer do mês foram 247 acidentes registrados contra 298 em 2016. A queda foi de 17%.

Segundo o órgão, as maiorias das mortes se deram por colisões frontais, saídas de pista e atropelamento de pedestres, provocados muitas vezes por falta de atenção, excesso de velocidade e ultrapassagens em locais proibidos. A PRF declara que, devido a cortes realizados pelo Governo Federal, as autuações sofreram quedas nesse período de férias. Foram emitidas cerca de 12.748 multas entre os diversos tipos de autuações, contra os 18.781 de 2016.

Mesmo com limitações, a PRF flagrou 226 motoristas dirigindo embriagados e 34 sem utilizar a cadeirinha ou bebê conforto. Outros 419 motoristas estavam ultrapassando em locais proibidos e 440 não utilizavam o cinto de segurança obrigatório.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247