Produtora de alumínio americana fecha unidade

A Alcoa, produtora norte-americana de alumínio, anunciou o fechamento permanente de sua unidade de fundição de alumínio primário em Poços de Caldas, no Sul de Minas; é a primeira da companhia no Brasil, em funcionamento desde 1965; em nota enviada à imprensa, a assessoria da Alcoa informou que a unidade está com as operações suspensas desde maio de 2014, e as condições de mercado que levaram à redução não melhoraram

A Alcoa, produtora norte-americana de alumínio, anunciou o fechamento permanente de sua unidade de fundição de alumínio primário em Poços de Caldas, no Sul de Minas; é a primeira da companhia no Brasil, em funcionamento desde 1965; em nota enviada à imprensa, a assessoria da Alcoa informou que a unidade está com as operações suspensas desde maio de 2014, e as condições de mercado que levaram à redução não melhoraram
A Alcoa, produtora norte-americana de alumínio, anunciou o fechamento permanente de sua unidade de fundição de alumínio primário em Poços de Caldas, no Sul de Minas; é a primeira da companhia no Brasil, em funcionamento desde 1965; em nota enviada à imprensa, a assessoria da Alcoa informou que a unidade está com as operações suspensas desde maio de 2014, e as condições de mercado que levaram à redução não melhoraram (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - A Alcoa, produtora norte-americana de alumínio, anunciou nesta terça-feira (30) o fechamento permanente de sua unidade de fundição de alumínio primário em Poços de Caldas, no Sul de Minas. É a primeira da companhia no Brasil, em funcionamento desde 1965.

Em nota enviada à imprensa, a assessoria da Alcoa informou que a unidade está com as operações suspensas desde maio de 2014, e as condições de mercado que levaram à redução não melhoraram.

“O fechamento da unidade de Poços retira permanentemente uma unidade de alumínio primário de alto custo do sistema da Alcoa e é mais um passo na criação de uma atividade de metais primários mais lucrativa”, disse o presidente de Produtos Primários Globais da Alcoa, Bob Wilt, em nota.

De acordo com a empresa, o fechamento da unidade de Poços reduz a capacidade total de produção da Alcoa neste segmento em 96.000 toneladas, caindo para 3,4 milhões de toneladas. A mina, a refinaria, a fábrica de alumínio em pó e a casthouse de Poços continuarão operando normalmente.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Poços de Caldas, Ademir Angelini, afirmou ao Estado de Minas que não houve acordo e que não foi comunicado oficialmente sobre o fechamento da unidade.

Segundo ele, uma média de 650 funcionários trabalham nas funções administrativas e de produção na unidade de Poços de Caldas. O representa disse, ainda, que, em 2014, com a paralisação da produção, 250 trabalhadores foram demitidos. "Novas demissões podem ser feitas e vamos nos posicionar", informou.

O dirigente afirmou que aguarda o levantamento feito a pedido do Ministério Público do Trabalho à empresa sobre novas demissões desde novembro, mas a Alcoa ainda não apresentou resposta, de acordo com ele. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247