Professores da UFPE devem manter a greve

Docentes rejeitam nova proposta de reajuste salarial oferecida pelo Ministério da Educação

Professores da UFPE devem manter a greve
Professores da UFPE devem manter a greve (Foto: Divulgação)

Leonardo Lucena _PE247 – Apesar do Ministério da Educação se mostrar disposto a chegar a um consenso com a os professores da Universidades Federais, com a proposta de um novo reajuste, o presidente a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe), José Luiz Simões, afirma que a proposta do governo não atende às demandas da categoria. Portanto, a greve deverá continuar por tempo indeterminado.

“A proposta de reajuste em 25%. Contando desde o ano de 2010, quando houve o último reajuste, esse percentual fica 5% ao ano, quase igual à inflação”, diz. “No caso do aumento poder chegar a 40% para os professores titulares, esses docentes representam menos que 5% dos magistérios”, acrescentou o dirigente.

Outro ponto de discórdia por parte da Adufepe é a cláusula que concede ao MEC a obrigação de avaliar o desempenho dos professores. “É uma proposta que fere a autonomia da universidade. De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), essa questão é avaliada pela própria instituição”, explica Simões.

Segundo a proposta do governo, um professor com doutorado passaria a receber R$ 8.439,77 durante o estágio probatório (três anos). Depois, o salário chegaria a R$ 10.007,24. Já os titulares com dedicação exclusiva, ganhariam 17.057,74, um aumento de 40%. Tais alternativas acarretariam um custo de R$ 4,2 bilhões aos cofres do Governo Federal.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247