Profissionais de saúde residentes denunciam que estão há um mês e meio sem receber

A Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) já recebeu mais de 200 casos relatando o não recebimento dos R$ 2.800 no mês de março

(Foto: Ministério da Saúde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasil de Fato | São Paulo (SP) - Profissionais de saúde que iniciaram o programa de residência no mês de março estão denunciando que o governo ainda não realizou o pagamento da bolsa. A Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) já recebeu mais de 200 casos relatando o não recebimento dos R$ 2.800 mensais. Pelas redes sociais, foi feita uma tabela compartilhada para as pessoas informem se a bolsa está sendo transferida, até o momento mais de 500 afirmam que não.

Nesses relatos, reúne médicos, enfermeiros, farmacêuticos, psicólogos, assistentes sociais e outras diversas áreas da saúde que atuam no SUS. A residência exige que o profissional trabalhe exclusivamente com o programa, dificultando muito que o trabalhador tenha uma segunda renda.

Na última semana, um documento relatando a situação foi apresentado na comissão externa da Câmara dos Deputados que trata do coronavírus. O deputado Alexandre Padilha (PT-SP) é um dos responsáveis por questionar o Ministério da Saúde a respeito do atraso no pagamento. Na quarta-feira (15), a ANMR teve uma reunião com membros da pasta.

Em entrevista ao portal UOL, residentes relataram que estão passando muitas dificuldades. Alguns contaram que são os responsáveis por garantir a compra de alimentos e outros ítens básicos para familiares. 

"Falei para meu pai ficar tranquilo, que eu o ajudaria. Que é também para ele não sair de casa [durante a pandemia]. Então no que eu puder eu vou ajudá-los, mas sem a bolsa?", contou Franciellen Ferreira, terapeuta ocupacional de 29 anos que faz residência na cidade de Campinas (SP).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247