Protógenes garante presença na CPI

Deputado, que manteve relacionamento prximo com o agente Dad, foi indicado pela lder do PC do B, na Cmara, Luciana Santos (PE)

Protógenes garante presença na CPI
Protógenes garante presença na CPI (Foto: Montagem/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O delegado Protógenes Queiroz fará parte da CPI que investigará o bicheiro Carlos Cachoeira. Ele foi indicado pela líder do partido na Câmara, Luciana Santos. Leia abaixo nota do partido:

A Líder do PCdoB na Câmara, deputada Luciana Santos, indicou os deputados Delegado Protógenes (SP) e Osmar Júnior (PI) para integrarem como titular e suplente, respectivamente, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para investigar o contraventor Carlos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres (ex-DEM) investigados nas operações Vegas e Monte Carlos, da Polícia Federal.

No Senado, o líder do bloco (PT, PDT, PSB, PCdoB e PRB), senador Walter Pinheiro (PT-BA), deverá indicar a senadora Vanessa Grazziotin (AM) como titular de uma das 15 vagas de senadores na CPMI.

A criação da CPMI, lida nesta quinta-feira (19) pela vice-presidente do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), contou com o maior número de assinaturas da história do parlamento. O requerimento foi assinado por 337 deputados e 72 senadores. A previsão é a de que a CPMI seja instalada na próxima quarta-feira (25).

Após a leitura, os partidos têm cinco dias para indicar os 15 senadores e os 15 deputados federais integrantes do colegiado. Do total de 30 titulares, a oposição tem direito a sete vagas.

Na primeira reunião da CPMI, deve ser eleito o presidente do colegiado e indicado o relator. A comissão tem o prazo de 180 dias, com possibilidade de prorrogação, para concluir os trabalhos.

Poderes

De acordo com a Constituição, uma CPI tem poderes de investigação próprios das autoridades judiciais e pode, por exemplo, ouvir testemunhas, investigados e indiciados, requisitar informações e documentos sigilosos a instituições financeiras, além de quebrar os sigilos bancário, fiscal e de dados. Ao término das investigações, as conclusões devem ser encaminhadas ao Ministério Público.

Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, é acusado de tráfico de influência, exploração de jogos ilegais, entre outros. A CPMI investigará o envolvimento da quadrilha com agentes públicos e privados.

Com informações da Liderança do PCdoB na Câmara

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email