PSB manterá independência do governo

Na véspera da reunião onde o PSB irá definir o seu posicionamento ao longo do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o prefeito do Recife e primeiro secretário nacional do partido, Geraldo Julio, disse que a tendência da legenda deverá ser de independência ao Governo Federal; "A posição certamente será essa, a mesma que a gente tirou em setembro de 2013. Uma posição de unidade do partido para defender aquilo que nós defendemos durante a campanha eleitoral, que foi o programa feito ainda com Eduardo (ex-governador Eduardo Campos) quando candidato", disse

Na véspera da reunião onde o PSB irá definir o seu posicionamento ao longo do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o prefeito do Recife e primeiro secretário nacional do partido, Geraldo Julio, disse que a tendência da legenda deverá ser de independência ao Governo Federal; "A posição certamente será essa, a mesma que a gente tirou em setembro de 2013. Uma posição de unidade do partido para defender aquilo que nós defendemos durante a campanha eleitoral, que foi o programa feito ainda com Eduardo (ex-governador Eduardo Campos) quando candidato", disse
Na véspera da reunião onde o PSB irá definir o seu posicionamento ao longo do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o prefeito do Recife e primeiro secretário nacional do partido, Geraldo Julio, disse que a tendência da legenda deverá ser de independência ao Governo Federal; "A posição certamente será essa, a mesma que a gente tirou em setembro de 2013. Uma posição de unidade do partido para defender aquilo que nós defendemos durante a campanha eleitoral, que foi o programa feito ainda com Eduardo (ex-governador Eduardo Campos) quando candidato", disse (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Na véspera da reunião onde o PSB irá definir o seu posicionamento ao longo do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o prefeito do Recife e primeiro secretário nacional do partido, Geraldo Julio, disse que a tendência da legenda deverá ser de independência ao Governo Federal. O PSB, que já foi um aliado histórico do PT, deixou a base governista no final do ano passado para lançar candidatura própria à Presidência da República. No segundo turno, a legenda apoiou a postulação do senador mineiro Aécio Neves (PSDB), que está na oposição ao governo Dilma.

"A gente disputou a eleição deste ano, Eduardo (ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos) foi candidato a presidente da República, construiu um programa de governo, um programa de governo que foi construído em debate com a sociedade, mas que traz todos os compromissos que o PSB historicamente teve e sempre terá com a população brasileira, com seu povo", disse o socialista durante um evento realizado no Recife na manhã desta quarta-feira (26).

Segundo Geraldo Julio, a posição a ser adotada pelo PSB deverá ser semelhante a apontada em 2013, quando o partido deixou a base governista. "A posição certamente será essa, a mesma que a gente tirou em setembro de 2013. Uma posição de unidade do partido para defender aquilo que nós defendemos durante a campanha eleitoral, que foi o programa feito ainda com Eduardo quando candidato", ressaltou.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247