PSL perde mais dois deputados na Assembleia Legislativa

O PSL sofreu mais duas baixas na Assembleia Legislativa da Bahia, e agora passa a ser composto por cinco deputados; Euclides Fernandes e Jurandy Oliveira já assinaram sua carta de desfiliação; nos bastidores, a movimentação dos deputados é vista como uma manobra que pode fazer sentido; eles teriam deixado o PSL numa articulação direta da linha de frente do governador Rui Costa; com sete deputados, como tinha até ontem, o partido teria um assento garantido na possível CPI que a oposição quer instalar para investigar as causas que levaram à interdição do Centro de Convenções da Bahia

O PSL sofreu mais duas baixas na Assembleia Legislativa da Bahia, e agora passa a ser composto por cinco deputados; Euclides Fernandes e Jurandy Oliveira já assinaram sua carta de desfiliação; nos bastidores, a movimentação dos deputados é vista como uma manobra que pode fazer sentido; eles teriam deixado o PSL numa articulação direta da linha de frente do governador Rui Costa; com sete deputados, como tinha até ontem, o partido teria um assento garantido na possível CPI que a oposição quer instalar para investigar as causas que levaram à interdição do Centro de Convenções da Bahia
O PSL sofreu mais duas baixas na Assembleia Legislativa da Bahia, e agora passa a ser composto por cinco deputados; Euclides Fernandes e Jurandy Oliveira já assinaram sua carta de desfiliação; nos bastidores, a movimentação dos deputados é vista como uma manobra que pode fazer sentido; eles teriam deixado o PSL numa articulação direta da linha de frente do governador Rui Costa; com sete deputados, como tinha até ontem, o partido teria um assento garantido na possível CPI que a oposição quer instalar para investigar as causas que levaram à interdição do Centro de Convenções da Bahia (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O Partido Social Liberal (PSL) sofreu mais duas baixas na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), e agora passa a ser composto por cinco deputados. Euclides Fernandes e Jurandy Oliveira já assinaram sua carta de desfiliação. A bancada fica composta pelos deputados Marcelo Nilo, Nelson Leal, Reinaldo Braga, Manassés e Alan Castro. Euclides Fernandes volta para o PDT e Jurandy Oliveira regressa ao PRP.

Nos bastidores, a movimentação dos deputados é vista como uma manobra que pode fazer sentido. Eles teriam deixado o PSL numa articulação direta da linha de frente do governador Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa.

Com sete deputados, como tinha até ontem, o partido teria um assento garantido na possível CPI (comissão parlamentar de inquérito) que a oposição quer instalar para investigar as causas que levaram à interdição do Centro de Convenções da Bahia, em Salvador. Os opositores acusam as gestões petistas de omissão com a degradação pela qual o espaço passou na última década.

Para ter assento garantido num colegiado especial, um partido precisa ter pelo menos seis representantes no parlamento. Em entrevista à Tribuna, Nilo disse que não tem conhecimento da suposta articulação por parte dos auxiliares do governador Rui Costa. 

O PSL chegou com status de poderoso à Assembleia Legislativa há dois anos. Saindo do PDT, Marcelo Nilo capitaneou um movimento de migração e montou uma bancada de oito parlamentares no partido, contando com ele. Já no ano passado, o primeiro a sair foi o deputado Paulo Câmera, que também voltou para o PDT.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247