PT-MG acusa Pimenta de mentir sobre o metrô de BH

O presidente do PT-MG, deputado Odair Cunha, lembrou, em nota, que a presidente Dilma esclareceu que o governo federal já liberou R$ 3,9 bilhões para a expansão do Metrô de BH, cuja lentidão para o início da operação é atribuída ao PT nacional e municipal pelo candidato ao Executivo mineiro Pimenta da Veiga (PSDB); "O próprio Pimenta reconhece, para a efetiva liberação dos recursos, é necessária a apresentação do projeto", disse; segundo o texto, o presidente da Metrominas admitiu que o projeto do Metro "foi devolvido pela Caixa por problemas na sua estruturação e falhas técnicas"

O presidente do PT-MG, deputado Odair Cunha, lembrou, em nota, que a presidente Dilma esclareceu que o governo federal já liberou R$ 3,9 bilhões para a expansão do Metrô de BH, cuja lentidão para o início da operação é atribuída ao PT nacional e municipal pelo candidato ao Executivo mineiro Pimenta da Veiga (PSDB); "O próprio Pimenta reconhece, para a efetiva liberação dos recursos, é necessária a apresentação do projeto", disse; segundo o texto, o presidente da Metrominas admitiu que o projeto do Metro "foi devolvido pela Caixa por problemas na sua estruturação e falhas técnicas"
O presidente do PT-MG, deputado Odair Cunha, lembrou, em nota, que a presidente Dilma esclareceu que o governo federal já liberou R$ 3,9 bilhões para a expansão do Metrô de BH, cuja lentidão para o início da operação é atribuída ao PT nacional e municipal pelo candidato ao Executivo mineiro Pimenta da Veiga (PSDB); "O próprio Pimenta reconhece, para a efetiva liberação dos recursos, é necessária a apresentação do projeto", disse; segundo o texto, o presidente da Metrominas admitiu que o projeto do Metro "foi devolvido pela Caixa por problemas na sua estruturação e falhas técnicas" (Foto: Leonardo Lucena)

Pautando Minas - O presidente do PT-MG, deputado federal Odair Cunha, afirmou, por meio de nota nesta segunda-feira, 1º de setembro, que o atraso na expansão do sistema de transporte metroviário da Região Metropolitana se deve à má gestão e à omissão do governo estadual nos últimos 11 anos. O dirigente petista lembrou que o governo federal já colocou à disposição do Executivo Mineiro R$ 3,9 bilhões para o Metrô de BH, sendo R$ 2,2 bilhões em recursos do Orçamento da União e R$ 1,7 bilhões em financiamentos subsidiados. Segue a íntegra da nota:

Nota à imprensa

Morando fora de Minas, Pimenta não conhece o Metrô de BH

Longe de Minas Gerais nos últimos 20 anos, depois de abandonar a Prefeitura de Belo Horizonte com um ano de mandato e se estabelecer como fazendeiro em Goiás, Pimenta da Veiga (PSDB) revela, novamente, desconhecimento sobre a realidade do Estado.

Na manhã de hoje (01), o candidato tucano ao governo de Minas voltou a atacar o PT em relação às obras do metrô, em mais uma demonstração de desequilíbrio e desespero de quem amarga um distante segundo lugar em todas as pesquisas de intenção de voto para governador do estado.

Entre as falsidades proferidas por Pimenta, se destaca a afirmação de que o Governo de Minas tem cumprido todos os compromissos assumidos com relação aos projetos do metrô.

Vamos repor a verdade

No dia 20 de agosto, em Belo Horizonte, a presidente Dilma Rousseff (PT) esclareceu que o governo federal já liberou R$ 3,9 bilhões para a expansão do Metrô de BH. Desse montante, R$ 2,2 bilhões são do Orçamento da União e outros R$ 1,7 bilhão são de financiamentos federais subsidiados.

Como o próprio Pimenta reconhece, para a efetiva liberação dos recursos, é necessária a apresentação do projeto.

O próprio presidente da Metrominas admitiu, em meados de agosto deste ano, que o projeto do metrô de Belo Horizonte, que cria a Linha 3, foi devolvido pela Caixa Econômica Federal (CEF) por problemas na sua estruturação e falhas técnicas. No último dia 29, a Metrominas afinal anunciou o envio do novo projeto solicitado pela Caixa, que agora está sob análise da instituição.

O primeiro projeto apresentado foi rejeitado pela Caixa porque não apresentava sequer cronograma de execução e orçamento. Quem teve 12 anos à frente do governo estadual e da Metrominas para fazer o metrô não tem autoridade ou credibilidade para tirar as obras do papel.

Nós, com apoio do governo federal e a autoridade de quem já fez, vamos, no governo democrático e popular, expandir o metrô e entregar as obras que as mineiras e os mineiros tanto precisam.

Pimenta não deve estar ciente de todos esses fatos. Afinal, em 2007, ele estava à frente do Conselho Político do então governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal. Trata-se do único governador preso pela Polícia Federal durante o exercício do mandato.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247