PT recebe pedido de desfiliação de 20 "infiéis"

Ameaçados de expulsão por infidelidade partidária por não ter seguido as orientações do partido nas últimas eleições, um grupo de petistas pernambucanos decidiu se antecipar ao processo de expulsão e pedir a desfiliação da legenda; a maioria dos ex-petistas pertencem a tendência PT de Luta de Massas (PTLM), que apoiou a candidatura do governador eleito Paulo Câmara (PSB); dentre os nomes de peso que pediram a sua desfiliação está o do dirigente do PTML e membro da Executiva Nacional, Gilson Guimarães; ao todo, desconsiderando a desfiliação, outros 80 membros do PT respondem a processos de infidelidade no Estado

(Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Ameaçados de expulsão por infidelidade partidária por não ter seguido as orientações do partido nas últimas eleições, um grupo de petistas pernambucanos decidiu se antecipar ao processo de expulsão e pedir a desfiliação da legenda. A maioria dos ex-petistas pertencem a tendência PT de Luta de Massas (PTLM), que apoiou a candidatura do governador eleito Paulo Câmara (PSB). Dentre os nomes de peso que pediram a sua desfiliação está o do dirigente do PTML e membro da Executiva Nacional, Gilson Guimarães. Ao todo, desconsiderando a desfiliação, outros 80 membros do PT respondem a processos de infidelidade no Estado.

"A gente vem de um histórico dentro do partido de descumprimento de regras, do código de ética. O que acontece é que percebemos isso e no processo que eles querem implantar dentro do partido, principalmente em relação a gente, é não identificar quais são os erros do partido que foi derrotado politicamente em 2012 e 2014. E aí com certeza eles vão usar um processo que não vai ser democrático, justo, para que a gente possa fazer nossa defesa", justificou Guimarães no momento da sua desfiliação. Segundo ele, pare dos dissidentes deverão migrar para o PSB, embora isso não deva acontecer de imediato.

Para presidente do PT no Recife, Oscar Barreto, o pedido de desfiliação foi algo precipitado, uma vez que não existiria nenhum processo encaminhado à instância partidária solicitando a expulsão dos petistas considerados infiéis pelo partido. Pelo rito interno do PT, os membros citados nos processos possuem até dez dias para apresentar a sua defesa.

Apesar da afirmação, uma comissão responsável por analisar os casos passíveis de enquadramento, que podem ir de advertência até a expulsão. Caso se confirme, a expulsão em massa será um marco no PT pernambucano, que não tem tradição neste tipo de processo. Em 34 anos de fundação, o PT estadual só registra dois casos de expulsão.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247