Quase réu, Aécio diz que foi ingênuo ao pedir propina à JBS e sugerir matar o primo

Prestes a virar réu por corrupção, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil, publica artigo nesta segunda-feira, em que diz ter sido ingênuo no episódio em que pede R$ 2 milhões à JBS e sugere que as malas sejam entregues a "alguém que a gente possa matar antes de fazer delação" – no caso, o seu primo, Fred Pacheco; segundo o ministro Luis Roberto Barroso, que integra a turma que deve julgá-lo, há poucas pessoas presas no Brasil com mais provas do que no caso Aécio; "fui ingênuo, cometi erros e me penitencio diariamente por eles", diz Aécio

aécio
aécio (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Prestes a virar réu por corrupção, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil, publica artigo nesta segunda-feira, em que diz ter sido ingênuo no episódio em que pede R$ 2 milhões à JBS e sugere que as malas sejam entregues a "alguém que a gente possa matar antes de fazer delação" – no caso, o seu primo, Fred Pacheco. Segundo o ministro Luis Roberto Barroso, que integra a turma que deve julgá-lo, há poucas pessoas presas no Brasil com mais provas do que no caso Aécio. "Fui ingênuo, cometi erros e me penitencio diariamente por eles", diz Aécio.

Inscreva-se na TV 247, confira o vídeo de Barroso e o artigo de Aécio:

Sua excelência, o fato

Por Aécio Neves

Ao vivo na TV 247 Youtube 247