Reajuste de até 25% no IPTU é aprovado na Câmara

Câmara Municipal, por 20 votos a 13, aprovou nesta quinta-feira, em primeira votação, o projeto de autoria da prefeitura de Goiânia que reajuste o valor do IPTU e ITU em até 25%; base aliada do prefeito Paulo Garcia (PT) justificou desta vez que a correção promove justiça social e a maioria dos imóveis sofrerá apenas a correção inflacionária, na faixa dos 10%; vereadores Clécio Alves e Célia Valadão, ambos do PMDB, que sempre votaram a favor da prefeitura, foram contra o reajuste; os dois são escudeiros de Iris Rezende, contrário ao reajuste, e mostram que cacique peemedebista está mesmo rompido com Paulo Garcia

Câmara Municipal, por 20 votos a 13, aprovou nesta quinta-feira, em primeira votação, o projeto de autoria da prefeitura de Goiânia que reajuste o valor do IPTU e ITU em até 25%; base aliada do prefeito Paulo Garcia (PT) justificou desta vez que a correção promove justiça social e a maioria dos imóveis sofrerá apenas a correção inflacionária, na faixa dos 10%; vereadores Clécio Alves e Célia Valadão, ambos do PMDB, que sempre votaram a favor da prefeitura, foram contra o reajuste; os dois são escudeiros de Iris Rezende, contrário ao reajuste, e mostram que cacique peemedebista está mesmo rompido com Paulo Garcia
Câmara Municipal, por 20 votos a 13, aprovou nesta quinta-feira, em primeira votação, o projeto de autoria da prefeitura de Goiânia que reajuste o valor do IPTU e ITU em até 25%; base aliada do prefeito Paulo Garcia (PT) justificou desta vez que a correção promove justiça social e a maioria dos imóveis sofrerá apenas a correção inflacionária, na faixa dos 10%; vereadores Clécio Alves e Célia Valadão, ambos do PMDB, que sempre votaram a favor da prefeitura, foram contra o reajuste; os dois são escudeiros de Iris Rezende, contrário ao reajuste, e mostram que cacique peemedebista está mesmo rompido com Paulo Garcia (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A Câmara Municipal, por 20 votos a 13, aprovou nesta quinta-feira o projeto de autoria da prefeitura de Goiânia que reajuste o valor do IPTU e ITU em até 25%. Há cerca de dois anos e meio o prefeito Paulo Garcia (PT) tenta aumentar o valor do imposto e obteve sucessivas derrotas. O projeto foi aprovado hoje em primeira votação e deve voltar ao plenário na semana que vem.

A base aliada justificou desta vez que a correção promove uma espécie de justiça social e a maioria dos imóveis sofrerá apenas a correção inflacionária, na faixa dos 10%. Os vereadores do PMDB, Clécio Alves e Célia Valadão, votaram contra o projeto, alegando que a situação econômica atual não permite que a recebe mais encargos. 

Célia e Clécio sempre votaram cegamente a favor do Paço. Mas, agora existe a crise entre PMDB e PT. Os dois são escudeiros de Iris Rezende e o ex-governador se manifestou totalmente contra o reajuste. Os votos da dupla são um recado e tanto para Paulo Garcia, que agora não pode contar totalmente com o bloco peemedebista.

A Secretaria de Finanças afirma que Goiânia tem hoje 653.973 imóveis, divididos em quatro zonas. Há ainda 122 mil lotes vagos na cidade. O projeto de revisão da Planta de Valores Imobiliários estipula que imóveis com valor venal até R$ 200 mil serão reajustados com base na inflação acumulada no período.

A partir daí, o aumento varia de acordo com a Planta. Se o valor venal for reajustado até 20%, a alta no imposto será de 5% mais a inflação. Se for corrigido entre 20% e 40%, será aplicada a inflação mais 10%. E, nos imóveis com correção acima de 40% no valor venal, o aumento será de 15% mais a inflação.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247