Relator condena, mas Conselho absolve Lereia

Parlamentar do PSDB de Goiás foi acusado de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, de quem declarou ser muito amigo; deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC) votou pela perda do mandato, pois considerou impossível acreditar que o acusado não sabia das atividades ilícitas do amigo; o entendimento do relator, entretanto, foi amplamente rejeitado pelo Conselho de Ética, e a tese da absolvição restou vencedora por 12 a 3

Parlamentar do PSDB de Goiás foi acusado de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, de quem declarou ser muito amigo; deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC) votou pela perda do mandato, pois considerou impossível acreditar que o acusado não sabia das atividades ilícitas do amigo; o entendimento do relator, entretanto, foi amplamente rejeitado pelo Conselho de Ética, e a tese da absolvição restou vencedora por 12 a 3
Parlamentar do PSDB de Goiás foi acusado de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, de quem declarou ser muito amigo; deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC) votou pela perda do mandato, pois considerou impossível acreditar que o acusado não sabia das atividades ilícitas do amigo; o entendimento do relator, entretanto, foi amplamente rejeitado pelo Conselho de Ética, e a tese da absolvição restou vencedora por 12 a 3 (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ Contrariando o voto do relator, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados acaba de absolver, por 12 votos contra 3, o deputado federal Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO) da acusação de envolvimento nos esquemas ilícitos do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Ronaldo Benedet, do PMDB de Santa Catarina, votou pela perda do mandato de Lereia no processo disciplinar por considerar ser impossível acreditar que o acusado não sabia da atuação do amigo Cachoeira relacionada ao jogo ilegal do bingo. Seus colegas de conselho, no entanto, entenderam o contrário. Ou isso não teve importância.

O site do jornal O Globo relata que o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ), amigo de infância de Leréia, fez piadinha na hora de votar. "É Leréia chegou o momento em que vou te trair. Tô brincando, voto não".

Leréia estava a presente na reunião e fez um apelo aos deputados. "Vamos votar logo isso pelo amor de Deus. Este assunto está prejudicando a mim e a minha família".

A matéria de O Globo diz que Leréia teve o apoio de parlamentares do PT e da base aliada para se livrar da cassação.

Com a rejeição desse relatório, um novo relator, deputado Mauro Lopes (PMDB-MG), foi designado. Ele deve apresentar o seu relatório na próxima quarta-feira (28), que pode ser pelo arquivamento do processo ou a imposição de penas alternativas: censura, verbal ou escrita; suspensão de prerrogativas regimentais por até seis meses; ou suspensão do exercício do mandato por até seis meses.

Para esse novo parecer, pode ser pedida vista novamente e os prazos podem ser estendidos, já que o prazo original do processo se encerrava nesta sexta-feira (23).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email