CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Relatório liga chefe do MP a Demóstenes e Cachoeira

Procuradoria-Geral da República recebe relatório da Polícia Federal que traz indícios da participação do procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, nos negócios de seu irmão, o senador cassado Demóstenes Torres, e do contraventor Carlinhos Cachoeira

Relatório liga chefe do MP a Demóstenes e Cachoeira (Foto: Divulgação_Folhapress)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Goiás247 - A Procuradoria-Geral da República recebeu um relatório da Polícia Federal (PF) que traz indícios da participação do procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, nos negócios de seu irmão, o senador cassado Demóstenes Torres (Ex-DEM), e do contraventor Carlinhos Cachoeira, alvos da Operação Monte Carlo que desarticulou o esquema de jogos ilegais em Goiás, informa o Radar online.

O caso, que já era investigado disciplinarmente no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), vai agora ganhar contornos criminais. No relatório enviado, a PF pede que a Procuradoria faça as "diligências que entender cabíveis" para apurar se Benedito Torres usou o cargo de chefe do Ministério Público de Goiás para perseguir adversários do bicheiro e ajudar aliados.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Quando o caso estourou em abril, Benedito Torres Neto considerou "irresponsáveis" as falas do seu irmão, de que teria intercedido junto a ele para que o MP Estadual atendesse interesses do empresário Carlinhos Cachoeira, de acordo com gravações interceptadas pela PF entre o senador e o empresário e reveladas pelo jornal Correio Braziliense.

Já ao jornal goiano O Popular, Benedito disse que não sabia "dessas bravatas". Ele afirmou na entrevista publicada em 15 de abril de 2012 que todos os pedidos de Cachoeira foram contrariados e ressaltou que não vive à sombra do irmão. "Se alguém pensa que existe sobreposição do trabalho do Demóstenes ao meu, está enganado." Se negou, entretanto, a romper com o então senador. "Como irmão não posso deixá-lo. É uma questão de humanidade."

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO