HOME > Geral

Renan defende votação aberta na ALE

Durante a inauguração de uma fábrica no Polo Industrial de Marechal Deodoro, o governador Renan Filho (PMDB) anunciou que é favorável ao voto aberto na Assembleia Legislativa, tema que tem provocado uma guerra jurídica entre alguns parlamentares; ele também defendeu o protesto marcado contra o governo federal: "Acho que isso é da democracia. O que é diferente da época da ditadura é que hoje as pessoas podem se expressar”; e nesta sexta-feira (11) Renan vai a Brasília para reuniões sobre o PMDB, principalmente a Convenção Nacional do Partido

Durante a inauguração de uma fábrica no Polo Industrial de Marechal Deodoro, o governador Renan Filho (PMDB) anunciou que é favorável ao voto aberto na Assembleia Legislativa, tema que tem provocado uma guerra jurídica entre alguns parlamentares; ele também defendeu o protesto marcado contra o governo federal: "Acho que isso é da democracia. O que é diferente da época da ditadura é que hoje as pessoas podem se expressar”; e nesta sexta-feira (11) Renan vai a Brasília para reuniões sobre o PMDB, principalmente a Convenção Nacional do Partido (Foto: Voney Malta)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Alagoas 247 - O governador Renan Filho (PMDB) se posicionou, na manhã desta sexta-feira (11), a respeito do impasse existente na Assembleia Legislativa e defendeu o voto aberto na Casa de Tavares Bastos. Para ele, votar abertamente atenderia a uma expectativa da população.

"Sou totalmente favorável ao voto aberto e acho que no parlamento o deputado deve apresentar à sociedade o que ele pensa. Ele pode pensar o que quiser, mas o cidadão tem o direito de saber como ele pensa, afinal o parlamento é uma representação da sociedade. O voto aberto é muito mais transparente e atenderia a uma expectativa da população. Espero que a Assembleia caminhe nessa direção", falou. 

O governador se posicionou ainda sobre o protesto previsto para acontecer neste fim de semana, contra o governo federal. Para ele, é uma questão de democracia. "Acho que isso é da democracia. Antes de tudo, deve-se permitir que as pessoas se expressem. O que é diferente da época da ditadura é que hoje as pessoas podem se expressar, mostrar suas preferências. Espero que tudo aconteça de forma pacífica e ordeira, porque é assim que uma democracia amadurece. Mas confesso que nos últimos dias houve muitas decisões precipitadas e questionáveis, o que termina acirrando os ânimos", falou. 

O governador também anunciou nesta sexta-feira (11), durante a inauguração de uma fábrica no Polo Industrial de Marechal Deodoro, a vinda de membros do Ministério da Saúde (MS) a Alagoas para discutir a liberação de recursos para a construção e regionalização de hospitais no estado. 

"Vamos receber o mais alto escalão do Ministério da Saúde e vamos discutir mais recursos para regionalização de serviços e também para o tratamento de câncer, algo que é muito importante para o alagoano", afirma o governador. O encontro com os representantes do ministério acontece na próxima segunda-feira. 

Nesta sexta-feira, o governador vai a Brasília para uma reunião do PMDB. O objetivo é discutir questões políticas, inclusive a eleição municipal, mas o foco principal seria a Convenção Nacional do Partido. "Viajo hoje à tarde para Brasília para participar amanhã da convenção nacional do PMDB. Vamos ter uma agenda atribulada, principalmente pela decisão do Supremo que exigiu o afastamento de membros do MP de cargos do Executivo e nos afetou aqui", disse. 

Com gazetaweb.com

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: