Renan elogia Collor e lança seu nome em Alagoas

Durante café da manhã com a imprensa em Maceió, nesta segunda-feira 16, no qual lançou três pré-candidatos do partido para a disputa majoritária, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), não descartou a possibilidade de lançar seu próprio nome ao governo de Alagoas em 2014; "Atualmente, não há diálogo com o PSDB do [governador Teotonio] Vilela. Diante desse cenário e se a população aceitar, coloco meu nome à disposição", afirmou; Renan disse ainda que Fernando Collor (PTB) é um bom nome para o Senado e fez duras críticas à gestão Vilela: "não tem acertado a mão nas ações sociais"

Durante café da manhã com a imprensa em Maceió, nesta segunda-feira 16, no qual lançou três pré-candidatos do partido para a disputa majoritária, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), não descartou a possibilidade de lançar seu próprio nome ao governo de Alagoas em 2014; "Atualmente, não há diálogo com o PSDB do [governador Teotonio] Vilela. Diante desse cenário e se a população aceitar, coloco meu nome à disposição", afirmou; Renan disse ainda que Fernando Collor (PTB) é um bom nome para o Senado e fez duras críticas à gestão Vilela: "não tem acertado a mão nas ações sociais"
Durante café da manhã com a imprensa em Maceió, nesta segunda-feira 16, no qual lançou três pré-candidatos do partido para a disputa majoritária, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), não descartou a possibilidade de lançar seu próprio nome ao governo de Alagoas em 2014; "Atualmente, não há diálogo com o PSDB do [governador Teotonio] Vilela. Diante desse cenário e se a população aceitar, coloco meu nome à disposição", afirmou; Renan disse ainda que Fernando Collor (PTB) é um bom nome para o Senado e fez duras críticas à gestão Vilela: "não tem acertado a mão nas ações sociais" (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - "O governo não tem acertado a mão em relação às políticas públicas essenciais, como saúde, educação e segurança pública. É lamentável a forma como o governo do Estado vem conduzindo o programa federal Brasil Mais Seguro. Já foram gastos mais de R$ 200 milhões só em Alagoas. E só agora o governo vai colocar mil policiais nas ruas, descumprindo promessas de campanha", pontuou o senador Renan Calheiros.

CANDIDATURAS DO PMDB - O parlamentar afirmou que o PMDB terá, em 2014, um candidato majoritário ao governo do Estado. O peemedebista destacou a força política de alguns aliados, a exemplo do ex-prefeito de Arapiraca, Luciano Barbosa, ex-vice governador, José Wanderley e o deputado federal Renan Filho. Para Renan, todos eles reúnem experiência de vida pública suficiente para reverter os péssimos indicadores sociais que o estado segue ostentando, apesar da grande mão amiga do governo Federal.

Sobre uma possível candidatura encabeça por ele, Renan, mais uma vez, não negou a pretensão de lançar seu nome. Há alguns meses, o senador tem viajado por todo estado colocando, como ele diz nos pronunciamentos, seu nome à disposição dos alagoanos. “Atualmente, não há diálogo com o PSDB de Vilela. Apenas com o PP do senador Benedito de Lira e o PTB do senador Collor. Diante desse cenário e se a população aceitar, coloco meu nome à disposição, acredito que em abril ou março teremos uma definição sobre isso”, reforçou.

"Em 2014, teremos um candidato majoritário ao governo, essa questão já está definida dentro do partido. Luciano Barbosa, por exemplo, foi Ministro da Integração Nacional e por oito anos prefeito de Arapiraca. Renan Filho também foi prefeito por Murici e trabalha hoje em Brasília. A vida pública de Wanderley também fala por si. Todos eles têm capacidade de participar do processo de sucessão em Alagoas", destacou o senador”, acrescentou.

DESTAQUE PARA COLLOR - Renan defendeu ainda um aliança pluripartidária em Alagoas, seguindo a conjunto nacional, que deve defender a reeleição da presidente Dilma. "A vida pública do senador Collor o coloca como um excelente candidato à reeleição no Senado Federal. Acredito que ele reúne todas essas características", pontuou.

Apesar de colocar os nomes na mesa para 2014, Renan confirmou que há não definição, ainda, sobre um nome ideal para a sucessão do governo tucano em Alagoas. “Neste momento, estamos ouvindo todos os partidos aliados. Mas, como disse anteriormente, não há definição quanto ao candidato. Todos os nome serão discutidos”, ponderou Renan.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247