Rui: "É preciso punir as empresas aventureiras"

Governador Rui Costa cobrou do Congresso modificação na lei de licitações vigente; ele criticou empresas "sem compromisso" que "entram nas licitações de qualquer jeito" e depois abandonam as obras; "É preciso punir, na minha opinião, seja quem tem a intenção ou que desvia dinheiro publico, mas também é preciso punir as empresas que, de forma aventureira, entram numa licitação, derrubam preço e abandonam a obra, com a pretensa ideia de que vai fazer mais barato do que o poder público orçou. A lei tem que favorecer empresas que inicia (a obra) e termina na data certa, e você consegue prever o preço da obra"

Governador Rui Costa cobrou do Congresso modificação na lei de licitações vigente; ele criticou empresas "sem compromisso" que "entram nas licitações de qualquer jeito" e depois abandonam as obras; "É preciso punir, na minha opinião, seja quem tem a intenção ou que desvia dinheiro publico, mas também é preciso punir as empresas que, de forma aventureira, entram numa licitação, derrubam preço e abandonam a obra, com a pretensa ideia de que vai fazer mais barato do que o poder público orçou. A lei tem que favorecer empresas que inicia (a obra) e termina na data certa, e você consegue prever o preço da obra"
Governador Rui Costa cobrou do Congresso modificação na lei de licitações vigente; ele criticou empresas "sem compromisso" que "entram nas licitações de qualquer jeito" e depois abandonam as obras; "É preciso punir, na minha opinião, seja quem tem a intenção ou que desvia dinheiro publico, mas também é preciso punir as empresas que, de forma aventureira, entram numa licitação, derrubam preço e abandonam a obra, com a pretensa ideia de que vai fazer mais barato do que o poder público orçou. A lei tem que favorecer empresas que inicia (a obra) e termina na data certa, e você consegue prever o preço da obra" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Em conversa com jornalistas enquanto entregava contenção de encosta no bairro Fazenda Grande III/Boca da Mata, em Salvador, nesta terça-feira (18), o governador Rui Costa cobrou do Congresso modificação na lei de licitações vigente. Ele criticou empresas "sem compromisso" que "entram nas licitações de qualquer jeito" e depois abandonam as obras públicas.

"É preciso punir, na minha opinião, seja quem tem a intenção ou que desvia dinheiro publico, mas também é preciso punir as empresas que, de forma aventureira, entram numa licitação, derrubam preço e abandonam a obra, com a pretensa ideia de que vai fazer mais barato do que o poder público orçou. A lei tem que favorecer empresas que inicia (a obra) e termina na data certa, e você consegue prever o preço da obra", disse o governador em entrevista à rádio Metrópole.

Rui acredita que uma lei mais rigorosa com as empresas também dificultaria a corrupção entre empreiteiras e o governo.

"Às vezes (as empresas) não fazem nada ou às vezes fazem só o filé mignon da obra e abandonam o resto. Esse era o momento que o Congresso devia aproveitar e mudar a lei para, primeiro, aumentar o rigor contra a corrupção, e, segundo, aumentar o rigor com as empresas irresponsáveis que não têm respeito pelo dinheiro público".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email