HOME > Geral

Rui reúne secretários e cobra contenção de gastos

"A crise econômica não será superada enquanto não for superada a crise política", disse o governador Rui Costa em reunião com secretários e dirigentes de empresas públicas na quarta-feira (30); ele cobrou dos gestores os resultados do decreto de contingenciamento (nº 16.417/2015), publicado em novembro do ano passado para garantir a contenção de gastos públicos e a regularidade no pagamento dos servidores; "É uma questão de responsabilidade e sobrevivência", exclamou Rui

"A crise econômica não será superada enquanto não for superada a crise política", disse o governador Rui Costa em reunião com secretários e dirigentes de empresas públicas na quarta-feira (30); ele cobrou dos gestores os resultados do decreto de contingenciamento (nº 16.417/2015), publicado em novembro do ano passado para garantir a contenção de gastos públicos e a regularidade no pagamento dos servidores; "É uma questão de responsabilidade e sobrevivência", exclamou Rui (Foto: Romulo Faro)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Bahia 247 - "A crise econômica não será superada enquanto não for superada a crise política", disse o governador Rui Costa em reunião com secretários e dirigentes de empresas públicas na quarta-feira (30). O encontro aconteceu na Governadoria por três horas, e governador cobrou dos gestores os resultados do decreto de contingenciamento (nº 16.417/2015), publicado em novembro do ano passado para garantir a contenção de gastos públicos e a regularidade no pagamento dos servidores.

Rui comparou os números do Estado nos meses de janeiro de 2014, 2015 e 2016, e destacou que a situação se agravou este ano em virtude da queda na arrecadação. "Temos que trabalhar muito e não podemos perder a capacidade fiscal", afirmou o governador.

Apesar da crise econômica que atravessa o Brasil e atinge a Bahia, Rui garantiu que os serviços essenciais oferecidos pelo Governo serão mantidos, mas para isso vai cobrar a participação de todos na luta pela redução das despesas na máquina pública. "É uma questão de responsabilidade e sobrevivência".

O chefe do Executivo baiano também disse que é imperativo continuar revendo contratos e métodos para garantir que a Bahia continue no caminho certo. Ele lembrou que 19 estados já atrasaram salários dos servidores públicos, enquanto a Bahia continua honrando seus compromissos, mesmo com a redução dos repasses federais e do fundo de participação.

"Precisamos estar unidos. Apenas assim, e com muitos esforços, vamos superar as dificuldades", afirmou o governador. Ele pediu "compreensão e empenho de todos para o momento".

Limite prudencial

Mais uma vez, o governador revelou sua preocupação com as despesas com pessoal, tendo em vista que esta já atingiu 47,55% do orçamento, superando o limite prudencial de 46,17%. Questionado sobre a possibilidade de reajuste este ano, Rui disse que, principalmente por conta da ligação histórica com o sindicalismo, "é doloroso não ter condições de negociar salário com os trabalhadores".

Em relação aos terceirizados, o governador determinou um amplo estudo. "Essa situação dos terceirizados precisa ser resolvida com urgência. Os contratos precisam ser revistos de uma forma moderna e inteligente, porque é constrangedor e inadmissível permitir atraso no salário dos trabalhadores. É inaceitável. O modelo que atualmente adotamos gera prejuízos para o trabalhador, para as empresas e para o Estado", disse.

Na reunião, o governador também anunciou que está sendo estudada a criação de uma central de serviços com o objetivo de otimizar áreas como segurança, limpeza e transporte dentro da estrutura do Governo.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: