Sabesp adia reajuste de 5,4% na conta de água

Sabesp decidiu adiar o reajuste da tarifa de água, autorizado em até 5,4%, que entraria em vigor a partir do próximo mês; aumento ficará para o final do ano; medida vem em meio a uma das piores crises hídricas do Estado, que afeta o abastecimento de água da Grande SP e tem reflexos políticos para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará reeleger-se em outubro; estatal tem arcado com custos extras da ordem de R$ 1 bilhão para garantir o abastecimento e evitar um rodízio de água

Sabesp decidiu adiar o reajuste da tarifa de água, autorizado em até 5,4%, que entraria em vigor a partir do próximo mês; aumento ficará para o final do ano; medida vem em meio a uma das piores crises hídricas do Estado, que afeta o abastecimento de água da Grande SP e tem reflexos políticos para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará reeleger-se em outubro; estatal tem arcado com custos extras da ordem de R$ 1 bilhão para garantir o abastecimento e evitar um rodízio de água
Sabesp decidiu adiar o reajuste da tarifa de água, autorizado em até 5,4%, que entraria em vigor a partir do próximo mês; aumento ficará para o final do ano; medida vem em meio a uma das piores crises hídricas do Estado, que afeta o abastecimento de água da Grande SP e tem reflexos políticos para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará reeleger-se em outubro; estatal tem arcado com custos extras da ordem de R$ 1 bilhão para garantir o abastecimento e evitar um rodízio de água (Foto: Valter Lima)

247 - A Sabesp decidiu adiar o reajuste da tarifa de água, autorizado em até 5,4%, que entraria em vigor a partir do próximo mês. O aumento ficará para o final do ano. A medida vem em meio a uma das piores crises hídricas do Estado, que afeta o abastecimento de água da Grande SP e tem reflexos políticos para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tentará reeleger-se em outubro.

Em resolução publicada ontem no "Diário Oficial do Estado", a Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo autoriza a companhia a reajustar a tarifa em 5,4%, índice calculado conforme a inflação.  A Sabesp, porém, abriu mão de aumentar a conta de água neste momento, embora esteja arcando com custos extras da ordem de R$ 1 bilhão para garantir o abastecimento e evitar um rodízio de água em São Paulo.

Os gastos se referem, por exemplo, ao bônus de incentivo à redução do consumo na região metropolitana e a obras emergenciais para bombear reservas de água profunda no sistema Cantareira, que ontem estava com 12,2% de sua capacidade. Com 27,9 milhões de clientes em 364 municípios do Estado, o faturamento da Sabesp é de R$ 11 bilhões ao ano.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247