Salários devem subir, mas e o seu?

90% das empresas brasileiras consultadas em pesquisa pretendem dar aumento nos prximos 12 meses. Veja como pedir o seu, sem saia justa

Salários devem subir, mas e o seu?
Salários devem subir, mas e o seu? (Foto: Shutterstock)

Luciane Macedo _247 - Se o Brasil é ou não um dos países com os melhores salários do mundo, levando-se em conta, também, o custo de vida em comparação a outras nações, é um tema que desperta calorosos debates. Mas os salários estão em alta no País, e quem trabalha em empresas privadas pode ficar otimista quanto à perspectiva de receber um aumento ainda este ano.

Segundo pesquisa internacional realizada pela consultoria Grant Thornton, 90% dos empresários brasileiros entrevistados planejam aumentar os salários nos próximos 12 meses, percentual que está acima das médias global (66%), da América Latina (88%) e dos Brics (68%). Os dados referentes ao primeiro trimestre da pesquisa International Business Report indicam, ainda, que 26% dos empresários brasileiros querem elevar os salários acima da inflação.

"Sendo a inflação uma das principais preocupações econômicas dos brasileiros e a retenção de talentos uma prioridade das estratégias de negócios, não surpreende que o Brasil esteja entre os países que mais aumentariam salários acima de inflação," observa Antoniel Silva, diretor da Grant Thornton Brasil.

A intenção de aumentar salários no Brasil é uma das cinco maiores do mundo, segundo a consultoria. O País fica atrás apenas da Suécia (95%), Argentina e África do Sul (ambos com 94%) e Turquia (92%). Já a ponta mais pessimista da pesquisa não surpreende: a Grécia aparece como o único país em que não há intenção de conceder aumento nos próximos 12 meses. Depois, despontam com os índices mais baixos Irlanda (14%), Japão (25%) e Taiwan (40%).

No contexto global, os setores que mais se destacam quanto ao desejo do empresariado de remunerar melhor são mineração (91%), agricultura (76%), tecnologia limpa (73%), serviços (72%) e educação (71%).

A Grant Thornton ouviu CEOs, diretores, presidentes e outros executivos seniores de 11.500 empresas privadas em 40 países. E embora o cenário seja animador para os brasileiros, ele não é garantia de uma remuneração mais alta.

Neste caso, como pedir um aumento de salário sem passar por uma saia justa com o chefe? A questão, que aparentemente pode ser muito direta, é sempre delicada, e deve ser abordada levando-se em conta certos aspectos e descartando-se outros. Pedir não é proibido. Mas solicitar um aumento argumentando de maneira pouco apropriada pode não só esbarrar em uma recusa, mas custar o emprego.

"Para pedir aumento com maior segurança, o profissional deve buscar manter seu desempenho acima da média e ocupar espaços maiores, fazer além do que lhe é solicitado", comenta Roberto Picino, diretor executivo da Page Personnel. "Invariavelmente, ele precisa provar antes que merece a promoção".

Segundo Picino, usar fatores da vida pessoal como argumento (casamento, filhos, compra de um casa), fazer comparativos com colegas que ganham mais na mesma função ou compatível e mencionar propostas ou convites que não existem são alguns dos erros mais comuns nas discussões salariais, e que podem prejudicar o profissional ou culminarem na perda do emprego.

"O que justifica aumento é o desempenho na empresa", resume, categórico, o diretor da Page Personnel. Confira, abaixo, dicas sobre como abordar a questão com mais chances de sucesso.

Clique nas imagens para ampliá-las.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247