Salvador tem o menor número de fumantes do Brasil

Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que Salvador alcançou o menor percentual de tabagistas entre as capitais brasileiras, com incidência de 5,2% da população acima de 18 anos com a prática; "O baixo consumo de tabaco na capital baiana é o resultado do intenso trabalho realizado pela Secretaria Municipal da Saúde através do Programa Municipal de Controle do Tabagismo, que somente no ano passado tratou mais de 1.500 pacientes nas unidade de referência de sua rede", diz a prefeitura em nota

Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que Salvador alcançou o menor percentual de tabagistas entre as capitais brasileiras, com incidência de 5,2% da população acima de 18 anos com a prática; "O baixo consumo de tabaco na capital baiana é o resultado do intenso trabalho realizado pela Secretaria Municipal da Saúde através do Programa Municipal de Controle do Tabagismo, que somente no ano passado tratou mais de 1.500 pacientes nas unidade de referência de sua rede", diz a prefeitura em nota
Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que Salvador alcançou o menor percentual de tabagistas entre as capitais brasileiras, com incidência de 5,2% da população acima de 18 anos com a prática; "O baixo consumo de tabaco na capital baiana é o resultado do intenso trabalho realizado pela Secretaria Municipal da Saúde através do Programa Municipal de Controle do Tabagismo, que somente no ano passado tratou mais de 1.500 pacientes nas unidade de referência de sua rede", diz a prefeitura em nota (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que Salvador alcançou o menor percentual de tabagistas entre as capitais brasileiras, com incidência de 5,2% da população acima de 18 anos com a prática.

"O baixo consumo de tabaco na capital baiana é o resultado do intenso trabalho realizado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) através do Programa Municipal de Controle do Tabagismo, que somente no ano passado tratou mais de 1.500 pacientes nas unidade de referência de sua rede", diz a prefeitura em nota.

Para fazer parte da estratégia, o interessado deve comparecer a uma das 41 unidades da rede municipal que fazem parte do programa, portando um documento oficial de identificação com foto e cartão SUS para preenchimento do cadastro. Após esse primeiro momento, os dependentes passarão por uma avaliação clínica e entrevistas individuais para estimar o grau de dependência química e psicológica.

A partir daí, participarão de sessões individuais e em grupo para discutir as doenças relacionadas ao tabaco e as vantagens de se parar de fumar. O tratamento dura em média três meses e os pacientes que tiverem necessidade serão encaminhados também para o uso de medicamentos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247