Sartori: ‘RS avançou 50 anos em apenas um ano’

O governador José Ivo Sartori (PMDB) declarou, durante seminário organizado pelo próprio governo, que a aprovação dos projetos que levam a mudanças estruturais foi um avanço histórico, pois “em um ano se fez pela modernização do Estado o que não se fez em 50”; também foi informado que, apesar da crise financeira nacional, houve aumento nos repasses para setores como educação e saúde

O governador José Ivo Sartori (PMDB) declarou, durante seminário organizado pelo próprio governo, que a aprovação dos projetos que levam a mudanças estruturais foi um avanço histórico, pois “em um ano se fez pela modernização do Estado o que não se fez em 50”; também foi informado que, apesar da crise financeira nacional, houve aumento nos repasses para setores como educação e saúde
O governador José Ivo Sartori (PMDB) declarou, durante seminário organizado pelo próprio governo, que a aprovação dos projetos que levam a mudanças estruturais foi um avanço histórico, pois “em um ano se fez pela modernização do Estado o que não se fez em 50”; também foi informado que, apesar da crise financeira nacional, houve aumento nos repasses para setores como educação e saúde (Foto: Voney Malta)

Sul 21 - Começou nesta sexta-feira (8) o Seminário de Governo do RS, no Centro de Treinamento do Banrisul, na Zona Sul de Porto Alegre. O encontro, que continua neste sábado, tem o objetivo de alinhar informações de gestão e fortalecer a integração entre as equipes de governo.

O governador José Ivo Sartori declarou que a aprovação dos projetos que levam a mudanças estruturais foi um avanço histórico, pois “em um ano se fez pela modernização do Estado o que não se fez em 50”.

A secretaria da Fazenda informou que apesar da acentuada desaceleração da economia nacional, da redução dos repasses federais e da grave crise financeira do Estado, o Executivo repassou para a Saúde, em 2015, R$ 3, 2 bilhões, que correspondem a 12,2% da receita, cumprindo o que determina a Constituição. A Educação recebeu R$ 8,8 bilhões, que representam 33,7% da receita. Este montante é o maior dos últimos dez anos e o mais próximo dos 35% constitucionais. Na Segurança, foram aplicados R$ 3 bilhões (11,45%).

A secretaria não informou que graças a aumentos extraordinários do ICMS, antecipações de cobranças de impostos e taxas como o IPVA e saques a descoberto no caixa único e sobre os depósitos judiciais, a receita cresceu muito em março.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247