Saúde precária no Tocantins é destaque do JN

Jornal Nacional dessa terça-feria, 25, mostrou a situação de dezenas de pacientes que dependem do tratamento de radioterapia; a única máquina da rede pública está quebrada há duas semanas, pela quinta vez só este ano; e não tem prazo para voltar a funcionar; pelo menos 80 pacientes dependem da máquina, instalada no Hospital Regional de Araguaína; Ministério Público cobra resolução imediata do problema; "Esse serviço deve ser ofertado da maneira segura, eficaz e contínua, e caso haja suspensão, que acarrete agravamento da doença, ou piora do paciente, certamente a responsabilidade é do próprio gestor estadual de saúde, do secretário estadual de saúde e talvez até do governador do estado", diz o MP; assista à reportagem

Jornal Nacional dessa terça-feria, 25, mostrou a situação de dezenas de pacientes que dependem do tratamento de radioterapia; a única máquina da rede pública está quebrada há duas semanas, pela quinta vez só este ano; e não tem prazo para voltar a funcionar; pelo menos 80 pacientes dependem da máquina, instalada no Hospital Regional de Araguaína; Ministério Público cobra resolução imediata do problema; "Esse serviço deve ser ofertado da maneira segura, eficaz e contínua, e caso haja suspensão, que acarrete agravamento da doença, ou piora do paciente, certamente a responsabilidade é do próprio gestor estadual de saúde, do secretário estadual de saúde e talvez até do governador do estado", diz o MP; assista à reportagem
Jornal Nacional dessa terça-feria, 25, mostrou a situação de dezenas de pacientes que dependem do tratamento de radioterapia; a única máquina da rede pública está quebrada há duas semanas, pela quinta vez só este ano; e não tem prazo para voltar a funcionar; pelo menos 80 pacientes dependem da máquina, instalada no Hospital Regional de Araguaína; Ministério Público cobra resolução imediata do problema; "Esse serviço deve ser ofertado da maneira segura, eficaz e contínua, e caso haja suspensão, que acarrete agravamento da doença, ou piora do paciente, certamente a responsabilidade é do próprio gestor estadual de saúde, do secretário estadual de saúde e talvez até do governador do estado", diz o MP; assista à reportagem (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - A situação precária da Saúde pública no Tocantins foi assunto no Jornal Nacional, da Rede Globo, dessa terça-feria, 25.

Reportagem mostrou que o governo do Estado tem 72 horas para dar informações à Justiça sobre a situação de dezenas de pacientes que dependem do tratamento de radioterapia. A única máquina da rede pública está quebrada há duas semanas. E não tem prazo para voltar a funcionar.

Hoje, pelo menos 80 pacientes dependem de uma única máquina de radioterapia que existe na rede pública de saúde do Tocantins. E pela quinta vez este ano, os tratamentos foram suspensos porque o equipamento está quebrado.

A máquina está instalada no Hospital Regional de Araguaína, no norte do estado, e atende também pacientes do sul do Pará e sul do Maranhão. Ainda não existe previsão de conserto. "Estamos tentando reparar, mas ela tem que ser uma peça importada. Porque não se encontra no Brasil essa peça. Esse é o problema", explica o físico responsável Hendey da Silva Carvalho.

O Ministério Público cobra do governo a volta imediata do atendimento. "Esse serviço deve ser ofertado da maneira segura, eficaz e contínua, e caso haja suspensão, que acarrete agravamento da doença, ou piora do paciente, certamente a responsabilidade é do próprio gestor estadual de saúde, do secretário estadual de saúde e talvez até do governador do estado", diz a promotora de Justiça Araína Cesária dos Santos Dalessandro.

O governo informou que começou a negociar uma alternativa para os pacientes. Com 1,5 milhão de habitantes, o Tocantins deveria ter três equipamentos de radioterapia, segundo recomenda a Organização Mundial de Saúde. O governo do estado comprou a segunda máquina em parceria com o Ministério da Saúde e ela está parada na alfândega desde setembro esperando liberação. Ainda falta construir a estrutura para receber o equipamento, o que deve ocorrer em seis meses.

O Ministério da Saúde prometeu instalar uma outra máquina de radioterapia no ano que vem, o que também depende de obras para a instalação.

O secretário estadual de Saúde pediu demissão na noite de segunda-feira, 24. Três dias antes, ele tinha falado ao Jornal Nacional sobre a falta do equipamento de radioterapia no Tocantins. "A decisão é a contratação de um serviço de radioterapia para esses pacientes não descontinuarem o seu tratamento. Ou que seja em clínicas privadas ou que seja dentro do próprio SUS. Nós temos que ter mais um aparelho no estado do Tocantins. Que é aquilo: quem tem um, não tem nenhum”, disse o secretário na ocasião.

O novo secretário estadual de Saúde, Marcio Carvalho da Silva Correa, reafirmou, nessa terça-feira, 25, que busca uma solução para os pacientes que dependem da radioterapia. E que ninguém ficará sem tratamento. (Com informações do site do Jornal Nacional)

Clique aqui e assista à reportagem. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247