Secretário será o 1º a ser ouvido na CPI da Segurança

Joaquim Mesquita, secretário de Segurança Pública, prestará depoimento como convidado no dia 6 de agosto. Foco principal da comissão ao ouvir integrantes da cúpula da SSP é saber o andamento dos inquéritos das mortes de moradores de rua e se estão sendo tomadas medidas para evitar novos crimes. Comandante Geral da Polícia Militar, que assumiu este ano, também será ouvido na CPI. Segurança pública é um dos gargalos do governo estadual e onda de violência ainda assusta moradores da Capital e Região Metropolitana

Secretário será o 1º a ser ouvido na CPI da Segurança
Secretário será o 1º a ser ouvido na CPI da Segurança

Goiás 247_ A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga problemas relacionados à Segurança Pública no Estado de Goiás confirma oitivas com delegados e dirigentes de entidades que representam policiais civis e militares. Os depoimentos começam no dia 6 de agosto com o secretário estadual de Segurança Pública e Justiça de Goiás, Joaquim Mesquita.

A volta aos trabalhos acontece no dia 1º de agosto, no Auditório Solon Amaral, quando a CPI realiza sua sexta reunião de trabalho. Na ocasião, serão votados dez requerimentos que tratam de convites a autoridades para prestar depoimento, além de requisição de informações a órgãos públicos.

Na quinta e última sessão, realizada no dia 25 de junho, os deputados-membros aprovaram oito requerimentos que solicitavam envio de convites a autoridades e dirigentes de entidades que representam policiais, para a prestação de depoimento na Comissão, e mais um com a requisição de informações à SSP-GO. Todas as proposituras foram apresentadas pelo vice-presidente da CPI, deputado Luiz Carlos do Carmo.

As informações requeridas à SSP se referem a fatos ocorridos e seus detalhes, como crimes cometidos contra moradores de rua em Goiás, com a indicação dos nomes das vítimas; data e motivação do crime; andamento do inquérito; bem como as medidas que estão sendo tomadas para evitar novas ocorrências.

A segurança pública continua sendo um dos gargalos do governo de Marconi Perillo e neste foi trocado o comandante-Geral da Polícia Militar, que também será ouvido na CPI.

Veja o cronograma da CPI para agosto:

Dia 6, às 9 horas: secretário estadual de Segurança Pública e Justiça, Joaquim Mesquita

Dia 8, às 9 horas: secretária municipal de defesa social, Adriana Accorsi.

Dia 8, às 10h30: presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol), Silveira Alves de Moura

Dia 13, às 9 horas: comandante geral da Policia Militar do Estado de Goiás, Silvio Benedito Alves.

Dia 15, às 9 horas: delegado Geral da Policia Civil do Estado de Goiás, João Carlos Gorski

Dia 20, às 9 horas: delegada de investigações criminais, Adriana Ribeiro.

Dia 20, às 10h30: presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás (Adpego), Waldson de Paula Ribeiro

Dia 22, às 9 horas: presidente da Agência Goiana de Execução Penal, Edemundo Dias de Oliveira Filho

Dia 27, às 9 horas: presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás (Sindipol), Fabio Alves de Castro Vilela

Dia 27, às 10h30: presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares do Estado de Goiás (ACS), Gilberto Candido de Lima

Dia 29, às 9 horas: promotor de Justiça da 18ª promotoria criminal de Goiânia, Fernando Braga Viggiano (a confirmar)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247