Sefaz garante o teto do Simples em R$ 3,6 milhões

Secretário da Fazenda, Simão Cirineu Dias passou o dia em despachos na sede da Fieg, onde teve 16 audiências com dirigentes de sindicatos patronais da indústria; todos apresentaram reivindicações, que serão analisadas e avaliadas por técnicos da Sefaz; presidente da Fieg, Pedro Alves disse que encontro atingiu o objetivo de abrir diálogo para permitir a formalização de empresas, combater a sonegação e proteger o parque industrial goiano contra invasões

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ O secretário da Fazenda, Simão Cirineu Dias, despachou na quarta-feira (14) na sede da Federação das Indústrias do Estado de Goiás durante quatro horas e teve 16 audiências com dirigentes de sindicatos patronais da indústria. Todos apresentaram reivindicações, que serão analisadas e avaliadas por técnicos da Sefaz. Alguns dos pedidos, como a manutenção do teto do Simples Nacional em Goiás em R$ 3,6 milhões em 2014, tiveram resposta de imediato.

“A Fazenda vai manter o teto como está, para atender ao micro e pequeno empresário”, afirmou o secretário. Segundo a lei que criou o Simples, o subteto pode ser adotado pelos Estados em índice inferior ao teto nacional, desde que seja fixado em outubro para vigorar no ano seguinte. “O encontro foi produtivo, foi uma discussão de ideias sobre como proteger a indústria de Goiás da concorrência predatória”, avaliou Simão Cirineu.

Foi o presidente Pedro Alves quem organizou as audiências e a pauta das discussões. Ele permaneceu ao lado do secretário o tempo todo. Também estavam lá o superintendente da Receita, Glaucus Moreira e os gerentes Cícero Rodrigues e Lourdes Augusta Nobre. As reuniões foram realizadas com dirigentes dos Sindicatos da Indústria do Arroz, Móveis, Cimento, Cerâmica, Trigo, Indústria Farmacêutica, Gráfica, de Torrefação e Moagem de Café, entre outros.

Os assuntos abordados versaram sobre a tributação na fonte de arroz beneficiado proveniente de outros Estados, inclusão de produtos de cama, mesa e banho no Fundo de Desenvolvimento de Confecções, cobrança de diferença do ICMS do segmento gráfico, substituição tributária, pauta de ICMS interestadual para couro fresco e salgado, entre outros. A Sefaz prometeu instalar estande para atender os contribuintes que pretendem formalizar suas empresas na Feira de Móveis no Jardim Guanabara, em setembro, que será realizada pelo Sindimóveis.

O presidente da Fieg, Pedro Alves, disse que o objetivo do encontro era abrir diálogo com a Sefaz para permitir a formalização de empresas, combater a sonegação fiscal e proteger o parque industrial local contra invasões de fora. Assim, a reunião alcançou o objetivo esperado. Simão Cirineu prometeu estudar as reivindicações e, com base em dados da receita e outros fornecidos pelos contribuintes, tomar as decisões necessárias.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email