Sem preven$ão, sobrou a reconstru$ão

Ministros da Integrao Nacional, Fernando Bezerra, e dos Transportes, Paulo Passos,anunciaram que recuperao emergencial das rodovias no custar menos de R$ 100 milhes. Prevenir, como de costume, custaria menos

Sem preven$ão, sobrou a reconstru$ão
Sem preven$ão, sobrou a reconstru$ão (Foto: MARCOS DE PAULA/AGÊNCIA ESTADO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com Agência Estado - Quem diz é o próprio ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra: para cada R$ 1 gasto em prevenção são necessários R$ 6 para remediar os problemas causados pela chuva. Ou seja, remediar é sempre mais caro. Se os responsáveis tivessem construído estruturas capazes de suportar o previsível aumento de intensidade das chuvas de janeiro, as estradas de Minas Gerais não precisariam dos R$ 100 milhões anunciados nesta sexta-feira.

Bezerra e o ministro dos Transportes, Paulo Passos, anunciaram a aplicação de recursos emergenciais para minimizar os efeitos da chuva em Minas Gerais. Os dois se reuniram com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), que vai a Brasília na próxima semana apresentar as necessidades para retomar a "normalidade" do Estado.

Segundo Bezerra, o Ministério vai liberar recursos para o Estado por meio do Cartão de Pagamento da Defesa Civil que, segundo ele agiliza o repasse das verbas por evitar burocracias como a necessidade de aberturas de contas. "Vamos atender já através do novo instrumento. Vamos repetir essa experiência em Minas Gerais. Todas as despesas de custeio serão pagas através do Cartão da Defesa Civil", disse, referindo-se ao uso do cartão em Santa Catarina em setembro do ano passado.

Já Passos afirmou que sua Pasta gastará, "seguramente", pelo menos R$ 100 milhões na recuperação emergencial de rodovias que foram atingidas por queda de barreiras ou que tiveram o asfalto destruído pelas águas. "O que é importante em relação a tudo isso é que a providência se faça em caráter imediato", declarou.

Na mesma hora em que os ministros se reuniam com o governador na Cidade Administrativa, sede do Executivo estadual em Belo Horizonte, o Corpo de Bombeiros resgatava duas vítimas que morreram soterradas em Governador Valadares depois que um muro de arrimo desabou sobre a casa em que estavam. Nilson Jânio Andrade, de 43 anos, e Marlene Pinheiro da Silva, de 37, não resistiram. Uma criança de 11 anos e uma adolescente de 16 foram resgatadas com vida.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email