Serra: ‘Fatos em emails da Siemens não aconteceram’

Ex-governador de São Paulo, acusado pela multinacional alemã de propor um acordo na disputa pela compra de 40 novos trens, a fim de não travar uma licitação da CPTM, afirma que prevaleceu, em 2008, "a concorrência realizada e os preços mais baixos"; em nota publicada em sua página no Facebook nesta sexta-feira, o tucano diz que é possível comprovar "com facilidade" que "não houve nenhum acordo com empresas para limitar a concorrência"; nome de Serra é citado em email trocado entre executivos da Siemens

www.brasil247.com - Serra: ‘Fatos em emails da Siemens não aconteceram’
Serra: ‘Fatos em emails da Siemens não aconteceram’


247 – Depois de envolvido com todas as letras no caso de fraudes em licitações de trens e metrô em São Paulo, o ex-governador José Serra (PSDB) afirmou nesta sexta-feira 9 que "os fatos sugeridos nesse(s) email(s) de executivo(s) da Siemens não aconteceram". O tucano se refere, em nota publicada em sua página no Facebook, à acusação, pela multinacional alemã, de que Serra teria proposto um acordo à empresa a fim de não travar uma licitação da CPTM, que tratava da compra de 40 novos trens, em 2008.

Ao jornal Folha de S.Paulo, que publicou a denúncia da Siemens, Serra já havia negado qualquer encontro com executivos das empresas interessadas no contrato da CPTM e afirmado que a licitação havia sido limpa. Desta vez, ele reforça que o processo em si "foi uma verdadeira ação anti-cartel, de defesa do Estado e dos usuários de transportes". E que o Estado economizou à época cerca de R$ 200 milhões com a vitória da espanhola CAF, que teria oferecido o menor preço. 

Leia abaixo a íntegra da nota de José Serra:

A concorrência para compra de 40 trens de São Paulo, realizada em 2008, foi uma verdadeira ação anti-cartel, de defesa do Estado e dos usuários de transportes.

Ganhou a CAF, uma empresa espanhola que ofereceu o menor preço. O Estado economizou cerca de 200 milhões de reais. E ganhou 40 trens novos, para transporte coletivo.

A Siemens, empresa alemã, ofereceu preços bem mais altos. Por isso perdeu, ficando em segundo lugar. Diga-se que não recebeu nenhum tipo de compensação. Não foi subcontratada nem ganhou contratos novos. Ou seja, os fatos sugeridos nesse(s) email(s) de executivo(s) da Siemens não aconteceram.

A fim de anular a concorrência, a Siemens entrou com vários recursos na esfera administrativa e na Justiça, mas não teve êxito. O Governo de São Paulo ganhou na instância final, do STJ. Prevaleceu então a concorrência realizada e os preços mais baixos.

O Banco Mundial, que financiou o projeto, supervisionou e aprovou toda a licitação.

Como se comprova com facilidade não houve nenhum acordo com empresas para limitar a concorrência. Pelo contrário, o governo e sua secretaria de Transportes Metropolitanos defenderam a concorrência e os preços menores, em benefício da população paulista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email