Servidores da Saúde param por 24 horas

Os servidores da saúde de Alagoas paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (12). As unidades do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), do Hemocentro do Agreste (Hemoar), do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) de Maceió e Arapiraca, do Hospital Hélvio Auto, da Maternidade Santa Mônica, do Hospital Portugal Ramalho e da Unidade de Emergência do Agreste funcionam com apenas 30% dos serviços. No Hospital Geral do Estado (HGE) funciona apenas a emergência, mas todo paciente que chegar será avaliado.

Os servidores da saúde de Alagoas paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (12). As unidades do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), do Hemocentro do Agreste (Hemoar), do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) de Maceió e Arapiraca, do Hospital Hélvio Auto, da Maternidade Santa Mônica, do Hospital Portugal Ramalho e da Unidade de Emergência do Agreste funcionam com apenas 30% dos serviços. No Hospital Geral do Estado (HGE) funciona apenas a emergência, mas todo paciente que chegar será avaliado.
Os servidores da saúde de Alagoas paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (12). As unidades do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), do Hemocentro do Agreste (Hemoar), do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) de Maceió e Arapiraca, do Hospital Hélvio Auto, da Maternidade Santa Mônica, do Hospital Portugal Ramalho e da Unidade de Emergência do Agreste funcionam com apenas 30% dos serviços. No Hospital Geral do Estado (HGE) funciona apenas a emergência, mas todo paciente que chegar será avaliado. (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - De acordo com a diretora de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev-AL), Olga Chagas, a paralisação, de 24 horas, é uma advertência ao governo do Estado. Esse é o 10º segundo ato da categoria somente este ano, caso não tenha nenhum acordo, a paralisação poderá ser estendida por 48 horas.

Os servidores continuam com as reivindicações contra a suspensão do pagamento da Gratificação por Função (GPF) – o governo criou uma lei para poder incorporar 11%. O projeto foi discutido com algumas lideranças do estado, aprovado e sancionado pelo governo. Os servidores querem uma nova discussão com o governo para a incorporação total, além de reajuste salarial de 25% e realização de concurso público.

Os servidores estão reunidos em frente ao HGE, desde às 9 horas, com tenda e carro de som. A categoria irá decidir se sairá em caminhada.

Com gazetaweb.com

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247