Servidores são cadastrados para apartamentos do MCMV

A Secretaria de Desenvolvimento Regional Urbano e Habitação do Estado (Sedruh) deu início nesta segunda-feira, 11, ao cadastro habitacional dos servidores públicos estaduais no Programa Minha Casa Minha Vida; lançado pelo governador Marcelo Miranda (PMDB) e pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o programa vai beneficiar 392 famílias com apartamentos com apartamentos que serão construídos na Arne 61, em Palmas; para participar do programa, o servidor deve comparecer à sede da Sedruh, das 8h às 18h, com RG, CPF, certidão de nascimento, comprovantes de endereço e renda e certidão negativa de imóvel

A Secretaria de Desenvolvimento Regional Urbano e Habitação do Estado (Sedruh) deu início nesta segunda-feira, 11, ao cadastro habitacional dos servidores públicos estaduais no Programa Minha Casa Minha Vida; lançado pelo governador Marcelo Miranda (PMDB) e pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o programa vai beneficiar 392 famílias com apartamentos com apartamentos que serão construídos na Arne 61, em Palmas; para participar do programa, o servidor deve comparecer à sede da Sedruh, das 8h às 18h, com RG, CPF, certidão de nascimento, comprovantes de endereço e renda e certidão negativa de imóvel
A Secretaria de Desenvolvimento Regional Urbano e Habitação do Estado (Sedruh) deu início nesta segunda-feira, 11, ao cadastro habitacional dos servidores públicos estaduais no Programa Minha Casa Minha Vida; lançado pelo governador Marcelo Miranda (PMDB) e pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o programa vai beneficiar 392 famílias com apartamentos com apartamentos que serão construídos na Arne 61, em Palmas; para participar do programa, o servidor deve comparecer à sede da Sedruh, das 8h às 18h, com RG, CPF, certidão de nascimento, comprovantes de endereço e renda e certidão negativa de imóvel (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A Secretaria de Desenvolvimento Regional Urbano e Habitação do Estado (Sedruh) deu início nesta segunda-feira, 11, ao cadastro habitacional dos servidores públicos estaduais no Programa Minha Casa Minha Vida. Através da parceria entre Executivo estadual, por meio da Sedruh, e o governo federal, serão contempladas, inicialmente, 392 famílias de servidores com apartamentos na Quadra Arne 61, em Palmas. 

O programa foi anunciado pelo governador Marcelo Miranda (PMDB) e pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, no último dia 5 de maio. 

Os servidores públicos estaduais (efetivos, comissionados e aposentados) terão prioridade nessa primeira etapa do programa que depois será ampliado para os demais servidores públicos municipais e federais. Além disso, o Governo do Estado já está procurando viabilizar parcerias para que o Programa seja estendido a outros municípios.

O servidor que tem interesse de participar do programa deverá comparecer à sede da Sedruh, em Palmas, das 8h às 18h, sem intervalo. Para a montagem do dossiê, o servidor deve apresentar RG, CPF, certidão de nascimento, comprovantes de endereço e renda e certidão negativa de imóvel. Se for casado, deve ainda apresentar esses mesmos documentos do cônjuge e a certidão de nascimento. Vale ressaltar que só podem ser beneficiados com o programa pessoas sem restrição financeira e com renda de até seis salários mínimos.

De acordo com o subsecretário da Sedruh, Rogério Spielmann, o cadastro vai ficar aberto até serem preenchidas todas as unidades. “É importante que o servidor que quiser ser beneficiado venha o quanto antes se cadastrar, pois serão contempladas as primeiras 392 pessoas que tiverem o cadastro aprovado pelo correspondente bancário da Caixa Econômica Federal”, explicou.

Os apartamentos terão área de 61,47 m², com dois quartos, sendo uma suíte. O imóvel terá um custo de R$ 133.150,00 para o servidor, sendo que no mercado imobiliário um imóvel nas mesmas condições está custando cerca de R$ 170.000,00.  Além do preço mais baixo do imóvel, o Programa vai oferecer boas condições de pagamento como menor taxa de juros e subsídio. O financiamento prevê uma entrada que será de no mínimo 10%, podendo variar de acordo com a renda, e até 30 anos para quitação. Durante o prazo de obra, o comprador paga apenas a amortização dos juros.

A servidora da Secretaria da Saúde, Maria das Graças da Silva, foi uma das primeiras a comparecer ao cadastro, pois há muito tempo esperava uma oportunidade de adquirir um imóvel. “Sou servidora há 20 anos no Estado e minha renda nunca foi suficiente para comprar uma moradia. Acredito que com esse programa vou poder, finalmente, sair do aluguel”, comentou.

A técnica de enfermagem Jackeline Aline Modesto Silva é servidora no Hospital Dona Regina no centro de Palmas e mora em Taquaralto. Para ela será uma oportunidade de morar mais próximo ao local de trabalho. “Tanto eu quanto meu marido trabalhamos aqui no Centro e seria bem melhor morarmos mais perto do serviço. Com as condições de pagamento do programa, acredito que vai ficar mais fácil de realizar esse objetivo”, ressaltou.

Leia também: Marcelo e Kassab MCMV para servidores

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247